Blog do Marcelão

Blog para debate sobre excelência na gestão.

Posts Tagged ‘estratégia’

6 Hábitos de Pensadores Estratégicos

Posted by marcelao em abril 15, 2012


Pessoal,

o cotidiano de um gerente é cheio de tentações que o atraem para lidar apenas com micro-atividades ou de curto-prazo porque sempre parece ser mais urgente e concreto. No entanto, tal atitude pode acarretar vários riscos a perenidade de sua empresa, pois o mundo muda em uma velocidade que é muito dificil acompanhar, principalmente em uma economia onde é o consumidor que possui maior poder de negociação e, diante disso, as empresas precisam acompanhar a velocidade na mudança das necessidades de sua principal razão de existir que são seus clientes.

Diante de tal realidade, cresce cada vez mais a importância de desenvolvermos habilidades relacionadas a pensar estrategicamente nossas empresas. Nesse sentido, inspirado em um artigo do professor Paul Schoemaker que li recentemente, apresento seis habilidades que, na minha opinião, os lideres devem desenvolver se quiserem pensar estrategicamente suas empresas:

– Antecipe: Vale a máxima “É melhor previnir do que remediar”. Pensar apenas no cotidiano pode leva-lo a não enxergar movimentações de seus concorrentes o que deixa sua empresa vulnerável para perda de mercado. Nesse sentido, é preciso acompanhar a mudança nas necessidades de seus clientes e como eles utilizam os produtos. Procure olhar de forma conceitual para as necessidades de seus clientes, pois, como diria Peter Drucker, o que seu cliente precisa não é de uma furadeira, mas sim de um furo na parede;

– Pense criticamente: O chamado senso-comum é na maioria das vezes baseado no olhar que as pessoas tem sobre o passado, naquilo que deu certo até agora. Pensar criticamente ajuda você olhar com mais carinho para dados que são desprezados pela grande maioria e faz com que você comece a enxergar problemas ou soluções futuras ainda na fase de concepção, possibilitando que você se antecipe e se prepare melhor para a mudança que está por vir. Procure desafiar crenças e mentalidades atuais, inclusive as suas e, principalmente, não se deixe manipular por PRÉ-CONCEITOS;

– Interprete: Sempre há uma tentação pela solução rápida. Muitas pessoas sentem-se angustiadas porque tem a percepção de que nossas vidas estão muito corridas. Mas precisamos desesperadamente, afastarmos um pouco para refletir com calma sobre nossas próprias experiências. Afinal de contas, ninguém entende o significado de suas experiências sem reflexão. Explore diversas opções, dê meia volta e tente outra quando a primeira não funcionar;

– Decida: Não se deixe paralizar pela análise. Vivemos em um mundo cada vez mais complexo e, devido a essa alta complexidade, existem muitas variáveis a serem consideradas em qualquer processo. Portanto, é impossível termos todas as informações disponíveis para tomar a decisão 100% perfeita. Isso aumenta mais ainda a chance de erro nas nossas decisões, mas isso não pode ser justificativa para tornar o processo decisório vagaroso e retardar a ação. Uma coisa é certa, nenhuma decisão considerará todas as variáveis e nenhuma decisão conseguirá agradar a todos, mas a ausência de decisão e ação é meio caminho andado para o fracasso de um projeto ou de uma empresa;

– Alinhe: Consenso total é utopia. Também não se deixe levar pela maioria, afinal de contas, como disse em post anterior, se a maioria tivesse razão sempre, nenhuma eleição poderia ser contestada. Isso não significa que você não deva promover o diálogo aberto, mas sim que você deve procurar entender os motivos de cada pessoa que participa do processo do debate de ideias, entender seus vieses e procurar agir de forma integrar os diversos pontos de vistas apresentados;

– APRENDA: A mais importante de todas as habilidades. Entenda que o sucesso e, principalmente, o fracasso são fontes abundantes de aprendizado. Utilize o erro como instrumento pedagógico e não como instrumento de punição. Não se trata de tentar para errar e depois aprender, mas sim de tentar e, se errar, aprender com o erro.  Não existe inovação sem assumir riscos e assumir riscos é saber que erros podem acontecer, a diferença está em como aprendemos com nossos erros. Nesse sentido, o papel do líder é de criar ambiente propício para que as pessoas sintam-se confiantes para arriscar e orientar os membros da equipe a aprender com os erros cometidos.

Pensar estrategicamente é como se enxergássemos nossas empresas como uma tapeçaria tecida a partir dos fios da reflexão, análise, visão de mundo, colaboração e proatividade, todos unidos pelo fio da integridade social. Afinal de contas, empresas são abstrações. O que vale, de verdade, são as pessoas dentro delas. Empresas são redes interativas, não hierarquias verticais. Empresas são redes sociais tecidas e integradas pelos fios do conhecimento.

Um abraço.

“I Believe in change”

Twitter: @blogdomarcelao

Anúncios

Posted in Gestão de mudanças, liderança, Planejamento Estratégico | Etiquetado: , , , , , | Leave a Comment »

A estratégia “Avante Vingadores”

Posted by marcelao em dezembro 22, 2011


Pessoal,

nos quadrinhos, os Vingadores são considerados o grupo de “Super-Heróis mais poderosos da Terra” e sempre que eles entram em alguma batalha contra algum super-vilão ou uma equipe de super-vilões, eles bradam o seu grito de guerra: “Avante Vingadores”

Nesse post eu quero abordar não os quadrinhos mas sim o filme dos Vingadores que estréia em maio de 2012.

A analogia com a estratégia é o caminho que a Marvel construiu para lançar o filme dos Vingadores. O filme dos Vingadores é um dos mais esperados para 2012 e a pergunta que faço é: Se ele fosse lançado antes dos filmes do Homem de Ferro, Thor e Capitão América, ele teria toda essa expectativa?

O que eu entendo por estratégia, principalmente execução da estratégia, é que você deve identificar que ações você deve tomar hoje para construir o seu amanhã. Foi exatamente isso que a Marvel fez com seu grupo de heróis preferidos de seus fãs, pois antes de começar a produzir o filme dos Vingadores, ela foi construindo a trama nos filmes dos heróis que compõem o grupo. Vejamos abaixo essas sementes que foram plantadas:

– A cena abaixo é a primeira semente plantada. É onde Nick Fury encontra Tony Stark e o informa que ele não é o único “ser especial” no planeta e fala da “Iniciativa Vingadores”:

Continue lendo »

Posted in Planejamento Estratégico | Etiquetado: , , , | 1 Comment »

200 anos e 200 países em Quatro minutos

Posted by marcelao em abril 24, 2011


Pessoal,

segue vídeo abaixo com o professor Hans Rosling e seu fantástico software para apresentar dados estatísticos fazendo uma análise em quatro minutos de 200 países sobre evolução da saúde e do indice de desenvolvimento humano em 200 anos.

Um abraço.

“Maybe I’m a dreamer, but i still believe”

Twitter: @blogdomarcelao

Posted in Inovação, Nova Economia | Etiquetado: , , , | Leave a Comment »

HSM – Mosaico de Tendências – Minhas previsões

Posted by marcelao em fevereiro 5, 2011


Pessoal,

está disponível uma iniciativa muito legal no portal da HSM que é o mosaico de tendências. O Mosaico está disponível no endereço http://www.hsm.com.br/mosaico/index.html#/pt_BR/home/

Lá você pode fazer suas previsões nos campos da Gestão e Negócios, Sustentabilidade, Web e Mobilidade, Brasil, Marketing e liderança. Se você não tem previsões a fazer, você também pode participar opinando sobre a qualidade das previsões feitas por outras pessoas.

Eu mesmo já fez duas previsões lá. A primeira, que está disponível em http://bit.ly/hkC3sO , é sobre o futuro da gestão das organizações. Na minha opinião, empresas grandes trazem uma complexidade muito grande para serem administradas e o custo de gestão de toda essa complexidade está cada vez mais elevado e insustentável e a consequência disso é a falta de mobilidade e flexibilidade das empresas para acompanhar as mudanças cada vez mais frequentes proporcionadas pela evolução cada vez mais rápida da tecnologia e, o que considero pior, o grande distanciamento da alta administração das grandes empresas daqueles que são a razão de ser de qualquer empresa que são seus clientes. Continue lendo »

Posted in Colaboração, Empreendedorismo, Gestão 2.0, Gestão de mudanças, Gestão do Conhecimento, Inovação, liderança, Planejamento Estratégico, tendências da tecnologia da informação | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

5a Jornada de Tecnologia e Gestão do Banco do Brasil – Parte Final

Posted by marcelao em dezembro 19, 2010


Pessoal,

seguindo a programação, hoje publico a parte final do resumo das palestras do evento organizado pela Diretoria de Tecnologia do Banco do Brasil durante a semana de 22 a 26 de novembro que foi a “Jornada de Tecnologia e Gestão – Conectando as pessoas através do diálogo”.

Hoje teremos o resumo das palestras “Gestão e Inovação – Ontem, Hoje e Sempre” e “A Magia da Gestão”.

Palestra “Gestão e Inovação – Ontem, Hoje e Sempre”

O último dia da Jornada foi dedicado mais especificamente à gestão. O professor e diretor comercial do Grupo HSM, Sandro Magaldi, abriu o dia com a palestra “Gestão e Inovação – Ontem, Hoje e Sempre”. Ele explicou que, devido à velocidade das coisas, normalmente não temos tempo para análises e planejamentos complexos. Priorizamos, então, as atividades mais urgentes. Apesar da importância de ações focadas no curto prazo, ele destacou a necessidade de incrementar a capacidade de processamento no médio e no longo prazo.

Atualmente a necessidade de fugir da comoditização faz com que as organizações orientem seus esforços, de forma incondicional, rumo à diferenciação. E são as idéias a matéria prima básica dessa diferenciação.

Aliado ao imperativo da competitividade, temos uma sociedade que se caracteriza pela ascensão do conhecimento. É fato inconteste que o principal ativo de uma corporação é seu capital intelectual acumulado, representado pela inteligência de seus colaboradores. Ter acesso a cérebros que fazem diferença contribuindo ativamente e criando valor para a organização é mais importante do que ter acesso a máquinas e bens imobilizados. Temos aí a base da chamada Sociedade do Conhecimento. Continue lendo »

Posted in Colaboração, Empreendedorismo, Gestão 2.0, Gestão de pessoas, Gestão do Conhecimento, Inovação, liderança, Planejamento Estratégico | Etiquetado: , , , , , , , , , | Leave a Comment »

5a Jornada de Tecnologia e Gestão do Banco do Brasil – Parte I

Posted by marcelao em dezembro 13, 2010


Pessoal,

Durante a semana de 22 a 26 de novembro, realizamos na Diretoria de Tecnologia do Banco do Brasil a quinta jornada de tecnologia e gestão. A jornada é um evento que tem como diretriz abordar assuntos de vanguarda ligados a inovação colocando os funcionários da Diretoria de Tecnologia em contato com pessoas no mercado que, em suas respectivas empresas, estão a frente dos assuntos inovadores abordados na jornada. O tema desse ano foi “Conectando as pessoas pelo diálogo”.

Além das palestras realizadas no auditório principal da Tecnologia, também é organizada uma mostra de inovação onde os parceiros da Diretoria apresentam suas visões sobre o futuro da tecnologia para a indústria bancária permitindo compartilhar essas visões com os funcionários de modo que possamos construir esse futuro em parceria. Participam da mostra de tecnologia empresas como Microsoft, IBM, Oracle, HP, Diebold, …

Esse é um post mix-resumo das palestras realizadas no auditório principal. Como esse texto será longo, dada a grande quantidade e qualidade das palestras, eu dividi esse resumo em cinco partes, um para cada dia da jornada, que serão publicadas uma a cada dia para que vocês possam ler em um ritmo que for melhor para vocês.

Essa primeira parte abordará os temas “Organizações do trabalho no futuro”, que contou com a presença de Silvio Meira e da Adriana Salles Gomes, e o painel “Melhores empresas para se trabalhar” que contou com as presenças de Ruy Shiozawa, Presidente do instituto Great Place to Work, Andreas Huettner, Diretor Comercial da Google Brasil e Daniel Moczydlower, CEO da Chemtech, Continue lendo »

Posted in Colaboração, Empreendedorismo, Gestão 2.0, Gestão de mudanças, Gestão de pessoas, Gestão do Conhecimento, Inovação, liderança, Nova Economia, Planejamento Estratégico, tendências da tecnologia da informação | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , | 1 Comment »

ExpoManagement 2010: O que eles disseram

Posted by marcelao em novembro 30, 2010


Pessoal,

na última página da revista HSM Management, sempre vem a seção “O que eles dizem sobre “. Trata-se de um conjunto de frases sobre determinado assunto e que servem como insights para o nosso cotidiano. Acho a idéia excelente e sempre a utilizo para reunir aqui no blog algumas frases apresentadas pelos palestrantes nos eventos da HSM de que participo.

Seguem abaixo, algumas frases que capturei durante a ExpoManagement 2010 realizada entre os dias 08 e 10 de Novembro:

Jim Collins:

“Quanto maior o sucesso, mais aterrorizados ficam os executivos, porque o fracasso sempre pode bater a nossa porta”

“As empresas parecem saudáveis por fora, com uma imagem de robustez e crescimento, mas já tem dentro delas uma doença, que se detectada precocemente pode ser curada”

“Não dá para criar uma empresa duradora se tudo gira ao seu redor de líderes isolados que acreditam que toda a base do sucesso de uma organização se deve a ele.”

“O grande sucesso dos CEOs que lideraram empresas duradouras não se deve a boas intenções, personalidade ou carisma”

“O crescimento sem disciplina pode liquidar uma empresa. A questão não é como crescer, mas como crescer com disciplina”

“Se uma organização permite que o crescimento supere a capacidade de ter as pessoas corretas, nos cargos adequados, isto é um indício de que está a caminho do declínio. O problema não é o crescimento, mas ter gente suficiente para executar o crescimento de forma brilhante”

“Não existe um grande segredo para motivação. As pessoas certas nos lugares certos são auto-motivadas por natureza. O problema é como não destruir esta motivação”

“O maior erro na liderança é oferecer esperanças falsas que serão destruídas pelos fatos”

“90% dos presidentes das empresas que se mantiveram no sucesso vieram de dentro da própria companhia. A busca de “um salvador externo heróico” é uma medida indisciplinada.  Isto porque a grandeza não acontece da noite para o dia com um único evento”

“Ninguém consegue competir quando só o dinheiro é a medida do sucesso” Continue lendo »

Posted in Ética, Colaboração, Consumidor 2.0, Empreendedorismo, Frases Marcantes, Gestão 2.0, Gestão de mudanças, Gestão de pessoas, Gestão do Conhecimento, Inovação, liderança, Marketing, Nova Economia, Planejamento Estratégico, Poder do consumidor | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 1 Comment »

Tendências de TI: Gráfico Hype-Cycle do Gartner

Posted by marcelao em outubro 13, 2010


Pessoal,

no último mês de agosto foi publicado o mais novo gráfico Hype-Cycle do Gartner que aponta as grandes tendências de tecnologia para os próximos anos, avaliando a maturidade dessas tecnologias de forma a apontar se elas são apenas modismos ou se elas realmente emplacarão e em quanto tempo isso ocorrerá.

O Gartner examinou 1800 tecnologias e tendências distribuídas em 75 temas e áreas da indústria de TI. Cada um dos 75 relatórios oferece um retrato instantâneo de área chave de TI ou de negócios. Executivos, CIOs, estrategistas, planejadores e desenvolvedores de tecnologia devem considerar estas tecnologias no desenvolvimento de negócios emergentes e portfólios de tecnologia.

Segundo o gráfico, tablets(como o Ipad), computação em nuvem privada, TVs e Displays de tela plana em 3D, realidade aumentada e energia elétrica sem fio são algumas das tecnologias que mudaram-se para o pico das expectativas infladas. No longo prazo, para além do horizonte de cinco anos, a atenção deve estar voltada para a impressão 3D, arquiteturas voltadas para entrega de contexto, robôs móveis, veículos autônomos(leia o post sobre o veículo autonômo do Google), ondas de terahertz(leia o post sobre exaflood).

Após o jump, veja a nova atualização do gráfico Hype-Cycle do Gartner: Continue lendo »

Posted in Inovação, Planejamento Estratégico, tendências da tecnologia da informação | Etiquetado: , , , , , | Leave a Comment »

Gestão 2.0: Evoluindo do T.E.A para o T.E.A.R

Posted by marcelao em agosto 30, 2010


Pessoal,

na última semana acompanhei o Fórum HSM de Estratégia e a palestra que mais gostei sem dúvida foi a do professor Silvio Meira. Já havia assistido a alguns vídeos do professor Silvio Meira no youtube e já tive a honra de ter sua presença no nossa jornada de tecnologia do Banco do Brasil no ano passado. Suas palestras são tão ricas de conhecimento e conteúdo que nós o convidamos novamente para a jornada de tecnologia desse ano e dessa vez para fazer a abertura.

O que mais se ressalta nas palestras do professor Silvio Meira é a importância de exercitarmos o aprendizado nas empresas. O professor sempre ressalta que precisamos estar permanentemente atentos ao contexto e que temos que ter uma base conceitual, além de capacidade, curiosidade e confiança. Para isso temos que estar sempre prontos a aprender, desaprender e reaprender.

Na sua palestra no Fórum da HSM sobre estratégia, Silvio Meira citou o acronimo T.E.A que vem de Tentar, Errar e Aprender. Não se trata de tentar para errar e depois aprender, mas sim de tentar e, se errar, aprender com o erro. O erro deve ser considerado um instrumento pedagógico e não como instrumento de punição. Não existe inovação sem assumir riscos e assumir riscos é saber que erros podem acontecer, a diferença está em como aprendemos com nossos erros. Nesse sentido, o papel do líder é de criar ambiente propício para que as pessoas sintam-se confiantes para arriscar e orientar os membros da equipe a aprender com os erros cometidos.

Vivemos em um mundo cada vez mais complexo e, devido a essa alta complexidade, existem muitas variáveis a serem consideradas em qualquer processo. Portanto, é impossível termos todas as informações disponíveis para tomar a decisão 100% perfeita. Isso aumenta mais ainda a chance de erro nas nossas decisões, mas isso não pode ser justificativa para tornar o processo decisório vagaroso e retardar a ação. Uma coisa é certa, nenhuma decisão considerará todas as variáveis e nenhuma decisão conseguirá agradar a todos, mas a ausência de decisão e ação é meio caminho andado para o fracasso de um projeto ou de uma empresa.

Diante de toda essa complexidade, peço licença ao professor Silvio Meira e gostaria de acrescentar mais uma letra ao seu acronimo T.E.A. (Tentar, Errar e Aprender). Gostaria de incluir a letra “R” de Reflexão. Reflexão significa perguntar, sondar, analisar, sintetizar, conectar – ou seja, ponderar cuidadosa e persistentemente o significado de uma experiência. Em Latim, refletir significa mudar de direção(retroceder, recuar) sugerindo que a atenção é direcionada ao interior para que depois seja voltada para o exterior, permitindo que vejamos um objeto familiar de modo diferente.

Ao escrever essa definição do verbo “Refletir”, lembrei da definição de “Inteligência” que o headhunter Robert Wong apresentou-nos na jornada de tecnologia do Banco do Brasil de 2008. Ele disse que “Inteligência” é a combinação de três palavras: “Inter”(interior, no caso conhecimento interior), Lego(ligar/conectar, daí o nome do brinquedo LEGO) e ciência(Conhecimento externo). Resumindo, inteligência significa conectar o conhecimento interior com o conhecimento exterior.

Muitas pessoas sentem-se angustiadas porque tem a percepção de que nossas vidas estão muito corridas. Mas precisamos desesperadamente, afastarmos um pouco para refletir com calma sobre nossas próprias experiências. Afinal de contas, ninguém entende o significado de suas experiências sem reflexão. Além do mais, vivemos cada vez mais em um universo de contexto onde eu tenho que entender o que está ao meu redor para entender o que eu significo.

Pessoas criativas são altamente reflexivas. Elas sabem como aprender com a própria experiência, exploram diversas opções e dão meia volta e tentam outra quando a primeira não funciona. O desenvolvimento criativo trata de conseguir atribuir sentido à experiência, o que significa fazer com que as pessoas, mesmo ocupadas, parem um pouco, deem um passo para trás e reflitam conscientemente sobre sua própria experiência.

Para finalizar, se acrescentarmos o “R” de reflexão, teremos o acrônimo T.E.A.R. que fica mais próximo da nossa realidade de sociedade em rede. Um TEAR é um aparelho mecânico ou eletromecânico empregado para fins de tecelagem, ele tece REDES. No contexto desse texto, TEAR para tecer redes de conhecimento, principalmente nas empresas que precisam entender que uma empresa saudável não é um conjunto de pessoas soltas, cada um cuidando apenas do próprio território, mas sim uma comunidade de seres humanos responsáveis, que se importam com o sistema como um todo e com sua sustentabilidade no longo prazo.

Como disse o professor Mintzberg no seu livro “Managing”, a gestão é uma tapeçaria tecida a partir dos fios da reflexão, análise, visão de mundo, colaboração e proatividade, todos unidos pelo fio da integridade social. Afinal de contas, empresas são abstrações. O que vale, de verdade, são as pessoas dentro delas. Empresas são redes interativas, não hierarquias verticais. Empresas são redes sociais tecidas e integradas pelos fios do conhecimento.

Um abraço.

“Keep the Faith”

Twitter: @blogdomarcelao

Posted in Colaboração, Gestão 2.0, Gestão de pessoas, Gestão do Conhecimento, Inovação, liderança, Planejamento Estratégico | Etiquetado: , , , , , , , , , , | 5 Comments »

Uma Síntese e a Minha Visão do Fórum HSM de Estratégia

Posted by marcelao em agosto 27, 2010


Pessoal,

Nos dias 24 e 25 de agosto, eu participei do evento do Fórum HSM de Estratégia que trouxe palestrantes internacionais e nacionais como Tom Peters, Fábio Barbosa, Renée Mauborgne, Martin Lindstron, Michael Porter e Silvio Meira. Como sempre acontece em todo evento da HSM, conteúdo e organização de primeira qualidade.

Esse post é uma tentativa de fazer um resumo e uma visão do que consegui captar nesses dois dias de contato com muitos insights e reflexões proporcionados pela exposição do conhecimento desses grandes pensadores da gestão. Além disso, quero combinar esse resumo e visão com as minhas idéias e visão de futuro na gestão.

A virada do século XX para o século XXI testemunhou uma transição contínua da gestão(Leia mais sobre isso aqui), enquanto controle, para a gestão enquanto envolvimento. Junto a tudo isso, houve uma transferência contínua de poder, da alta administração das empresas para as bordas da empresa, das empresas para o consumidor, que deveria estar sendo acompanhada por uma transição correspondente nos estilos gerenciais dentro das empresas, migrando do comando e controle em direção ao convencimento, da lideração para a conexão e do empowerment para a inspiração.(Leia mais sobre isso aqui)

Tom Peters disse em sua palestra que 98% das empresas são as pessoas(Leia mais sobre isso aqui) e que o papel do líder é ajudar as pessoas a terem sucesso. Liderar não é controlar as pessoas, mas sim deixa-las colaborar. Isso se torna imperativo ainda mais diante da afirmação do professor Silvio Meira de que empresas são abstrações. O que vale, de verdade, são as pessoas dentro delas. O que quer dizer que empresas são redes sociais.(leia mais sobre isso aqui) Continue lendo »

Posted in Colaboração, Consumidor 2.0, Empreendedorismo, Gestão 2.0, Gestão de mudanças, Gestão de pessoas, Gestão do Conhecimento, Inovação, liderança, Planejamento Estratégico, Poder do consumidor | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , | 1 Comment »

 
%d blogueiros gostam disto: