Blog do Marcelão

Blog para debate sobre excelência na gestão.

Archive for the ‘Gestão de mudanças’ Category

Expo 2012: O Que Eles Disseram

Posted by marcelao em dezembro 13, 2012


Pessoal,

na última página da revista HSM Management, sempre vem a seção “O que eles dizem sobre “. Trata-se de um conjunto de frases sobre determinado assunto e que servem como insights para o nosso cotidiano. Acho a idéia excelente e sempre a utilizo para reunir aqui no blog algumas frases apresentadas pelos palestrantes nos eventos da HSM de que participo.

Seguem abaixo, algumas frases que capturei durante a ExpoManagement 2012 realizada entre os dias 05 e 07 de Novembro:

Ram Charam:

“A liderança é uma arte que se pratica.”

“Nenhum atleta se torna campeão sem ritmo, disciplina e determinação para treinar, treinar, treinar.”

“Você tem que montar sua equipe com pessoas que traduzam a sua visão em ação.”

“Visão é diferente de alucinação.”

“Lideres devem desenvolver sua visão de futura e saberem comunica-la de forma prática.”

“Tenham a coragem para buscar a mudança e a determinação para faze-la.”

A velocidade é o nome do jogo daqui para frente.”

“O que está causando o aumento da velocidade da mudança são as pessoas, principalmente as pessoas fora das empresas.”

George Bodenheimer:

“A missão da empresa está impressa em todos os cartões de visitas dos funcionários da ESPN.”

“Três pilares da ESPN: Missão, Marca e cultura.”

“Quem tem paixão pelo que faz, entrega mais e maiores resultados.”

“Os funcionários da sua empresa são as pessoas mais importantes no que diz respeito a conhecer sua missão empresarial.”

“Sua cultura é vivenciada pelos colaboradores e sua função como líder é definir a cultura para que as pessoas incorporem.”

“Não há monopólio sobre as boas ideias.”

“Você deve ouvir seu instinto e seguir sua missão, mesmo sem um plano de negócio perfeito.”

“Sua marca é essencial para seu sucesso no futuro. Num mundo competitivo direcionado pela internet, os clientes estão a um click de distância da sua marca.”

Graça Foster:

“Tempo é para gestao e tomada de decisão e não para coleta de informação. Isso deve ser automático e ser disponibilizado.”

“A companhia tem que falar a mesma linguagem.”

“A complexidade da gestao exige que o colegiado da empresa esteja integrado e muito proxima de suas equipes.”

“Você não faz gestão por área de negócio na Petrobras pela simples razão de que tudo está integrado. Ele exige muitas competências e disciplinas.”

“Uma empresa com mais de 160 mil pessoas na força de trabalho precisa fazer com que todo saibam os rumos da empresa.”

“Grandes oportunidades se não gerenciadas e conduzidas de forma disciplinar e com planejamento podem tornar-se riscos de grandes problemas.”

“O planejamento estratégico é um conjunto de escolhas que constroem o nosso presente e orienta o nosso futuro.”

“A gestão é absolutamente fundamental para se atingir grandes metas e transformadoras da nossa empresa.”

Tudo o que a Petrobras conseguiu avancar deve-se a disciplina de seguir seu planejamento de longo prazo.”

“Tudo em relacão a Petroleo é de longo prazo, por isso a necessidade de planejamento e gestão.”

Don Tapscott:

“Uma coisa é certa com essa transformação que estamos vivendo, os próximos tempos não serão entendiantes.”

“Numa era de transformação profunda, a primeira consequência é uma crise de liderança, pois as lideranças atuais não aceitam essa mudança.”

“Estamos vivendo era de transformação profunda, da revolução industrial para a inteligência em rede. Temos que rebootar nossas instituições.”

“40% da receita da Amazon vem de empresas que pagam para usar as APIs da plataforma da Amazon.”

“A criação da internet desencadeou profunda transformação em todos os campos da sociedade.”

“Trata-se de um ponto de virada na história da humanidade. Não é uma mera mudança cíclica, mas sim uma mudança secular.”

“Novos paradigmas geram conflitos, inevitavelmente. Os líderes de velhos paradigmas normalmente têm dificuldades em abraçar a mudança.”

“É preciso fazer a coisa certa. Honestidade, consideração e responsabilidade são valores fundamentais.”

“Os críticos dizem que as mídias sociais não são capazes de produzir mudanças no mundo real. O episódio da Primavera Árabe desmente esta tese.”

“Um levantamento recente mostrou que os bancos considerados mais seguros dos EUA são os canadenses, porque têm o hábito de colaborar com o governo, e não tirar vantagem do sistema.”

Dan Ariely:

“Pensar a longo prazo não é algo que nós estamos preparados. Muitas vezes somos movidos por tentações.”

“A confiança é um tesouro essencial para a humanidade. No momento que você rompe essa confiança, a sociedade paga um custo alto por isso.”

“Conforme as decisões se tornam mais complicadas, menos ações tomamos. Acabamos deixando os outros tomarem a decisão por nós.”

“As pessoas tendem a confiar na própria intuição e, assim, repetem os erros ad infinitum. É preciso questionar a intuição o tempo todo e basear as decisões em experimentações.”

“O consumidor não sabe o que quer. A tomada de decisão está mais relacionada com o ambiente e o contexto em que a decisão é tomada.”

Ken Robinson:

“Organizações não são máquinas, são organismos compostos por pessoas vivas.”

“Liderar é Desenvolver habilidades de todos participantes da sua equipe. É encontrar assento certo dentro do “ônibus”.”

“Um grande lider não é aquele que tem as grandes ideias, mas sim aquele que cria o ambiente para surgimento de ideias.”

“O maior mito sobre criatividade é achar que só pessoas especiais podem ser criativas. Todo mundo tem potencial criativo.”

“O segundo mito é que criatividade precisa de habilidades especiais. Criatividade pode ser empregado em tudo.”

“A criatividade é filha da imaginação.”

“Sem a imaginação, nós ainda estaríamos morando nas cavernas ou nas savanas.”

“Pela ordem, devemos desenvolver imaginação, criatividade e depois a inovação nas empresas.”

“Imaginação está no cerne do que é ser uma pessoa.”

“A imaginação está no amago de todas as grandes invenções da humanidade.”

“O maior dom da humanidade é a diversidade.”

“Estamos enfrentando desafios maiores, que são fruto do produto da criatividade humana. Portanto, precisamos ser mais criativos, e parte disso diz respeito à educação e ao modo como administramos as empresas.”

“Inovação é uma passagem do estado de comando e controle para o de controle climático.”

“As principais prioridades de uma empresa são: adaptabilidade e criatividade constante.”

“A diversidade é o segredo para grandes equipes que fazem de suas diferenças o seu ponto forte. As diferenças precisam contribuir para o crescimento de todos.”

Howard Schutz

“Inovação não é um acessório. Ela tem que revolucionar com uma boa dose de ousadia.”

“A tecnologia criou vários benefícios, mas trouxe uma diminuição do contato humano.”

“Se você fizer pergunta sincera, terá resposta sincera. Essa deve ser estratégia de qualquer empresa nas redes sociais.”

“Smartphone vai substituir desktop e empresas precisam entender o que isso significa se quiserem criar valor para seus clientes.”

“Com as redes sociais, você tem que conduzir sua vida como se uma camera de TV estivesse sempre ligada em você.”

“Nunca a verdade foi tão necessária para os lideres das empresas.”

“A inovação não deve se restringir apenas aos nossos clientes, mas também incluir nossos funcionários.”

“Buscamos equilibrar a busca pelo aumento do valor para os acionistas e a busca por manter nossa humanidade.”

“Nós queremos criar e administrar nossa empresa com os olhos da humanidade.”

“Não podemos criar valor de longo prazo se não atendermos necessidades das comunidades ao redor de nossa empresa.”

“Em um mundo complexo e mergulhado na crise, uma empresa não pode ter como único propósito a geração de lucro para o acionista.”

“Uma das grandes lições que aprendi em momentos de crise é que é preciso tomar as decisões baseadas em informações, com clareza, transparência e honestidade. É preciso confiar nas pessoas.”

“É preciso agir proativamente para melhorar a vida das pessoas.”

“A crise ensina que é preciso ser transparente para reconquistar a confiança das pessoas. As pessoas estão céticas diante das lideranças.”

Fred Gelli

“Precisamos desatar o nó evolutivo no qual nos encontramos e, para isso, será necessário redesenhar o mundo, fazer negócios de forma diferente e sermos sustentáveis realmente.”

“Em 2050, estima-se que a população global alcançará 9,5 bilhões de habitantes. Se todos consumirem como hoje, serão necessários 3,5 planetas como o nosso.”

“O design se transformou em uma das disciplinas e abordagens mais importantes, por sua capacidade de costurar conhecimentos.”

“Devemos fazer negócios como a natureza faz há bilhões de anos, equilibrando os conceitos de competição e colaboração. Nos ecossistemas, as relações são de ganha-ganha, regidas por ciclos e não há desperdício, tudo é reaproveitável.”

“É preciso vontade e disposição para fazer diferente.”

“Inovar é juntar o que nunca antes foi reunido.”

“Para sobreviver, as empresas precisam descobrir sua essência, analisar o contexto atual e encontrar a conexão entre ambos.”

“A nova forma de fazer negócios prevê lucros para todos e não apenas para os acionistas.”

Derek Abell

“É preciso ter uma estratégia para dominar o presente e outra para se antecipar ao futuro”

“O futuro é mais difícil de mensurar”

“Temos que gerir os recursos construindo hoje novas competências para transformar o futuro.”

“Devemos atuar baseado na tríade: plataforma de negócios, inovação e transformação”

“Os bons líderes não inventam a visão, eles conseguem articulá-la e constituí-la”

“Visão não é previsão”

“Uma visão é um futuro a ser criado, não uma previsão.”

“O longo prazo não se trata apenas de explorar os recursos, mas também de desenvolvê-los.”

“É preciso ter uma gestão voltada para resultados e outra para mudanças, ambas conduzidas paralelamente.”

Michael Porter

“As empresas precisam reconquistar a confiaça da sociedade, para isso precisam repensar seus modelos de negócios.”

“Bancos não devem mais explorar o cliente, eles devem procurar ajudar seus clientes a alcançar seus objetivos.”

“A exploração financeira dos clientes pelos bancos não é criação de valor, isso é destruição de valor.”

“Quando falamos em criação de valor compartilhado temos que abandonar vários pressupostos que guiam os negócios hoje.”

“Necessidades sociais representam um grande mercado de oportunidades.”

“A maximização do valor da empresa para os acionistas é uma visão muito estreita.”

“Nós temos que desenvolver várias abordagens para resolvermos os problemas atuais do capitalismo.”

“A co-criação de valor compartilhado passa necessariamente pelo desenvolvimento de modelos de negócios.”

“As empresas inevitavelmente são parte da sociedade.”

“Inovação e geração de valor não virão de questões economicas, mas sim de questões sociais e da co-criação de valor.”

Stuart Hart

“Temos que dar um passo atrás e entender realmente o problema para evitar q ao solucionar um problema nós criemos outro problema”

“Estamos passando por uma grande transformação no conceito do que é uma empresa no século XXI.”

““É preciso desenvolver uma proposta de valor muito mais ampla do que apenas ter foco no produto. A empresa precisa encontrar mais benefícios do que a simples venda de produto.”

“O desafio para os próximos cinco anos é promover a convergência entre a tecnologia limpa e as iniciativas que são criadas para a população da base da pirâmide. Esse será o ‘salto verde’.”

“Para a elite, tentamos criar necessidades em mercados existentes. Para os mais pobres, procuramos criar mercados a partir de necessidades que já existem.”

Jim Collins

“O que caracteriza um grande lider não é sua personalidade. O grande lider se caracteriza pela humildade”

” A assinatura da mediocridade não está na falta de vontade de mudar, está na falha na consistência”

“É preciso dar muitos tiros pequenos para ver o que vai funcionar.”

“Os únicos erros com os quais você aprende, são os erros aos quais você sobrevive”

“Envolva-se com algo de que você goste tanto que vai ser o melhor nisso. É impossível ter uma vida grandiosa sem sentido. Deixe sua contribuição única para o mundo.”

“O ‘xis’ da grande liderança é a humildade de canalizar ambição, criatividade e desejo de fazer algo excepcional para um conjunto de valores e objetivos.”

“A variável diferenciadora das empresas de melhor desempenho não é a sorte, mas o que você faz com ela. Este é o Retorno Sobre a Sorte.”

“Quando o azar chega, pode levá-lo à catástrofe. É a ação diante do azar que diferencia o grande líder, o criador empírico, o paranoico produtivo.”

Alexandre Hohagen

“Hoje, as histórias têm que focar o relevante, fazer sentido para o consumidor e, principalmente, motivá-lo a se engajar e interagir com a empresa, por meio das suas experiências.”

““A Internet será feita de histórias. Boas e relevantes histórias que serão compartilhadas”

“Mais do que conectadas, as pessoas, por meio da internet, exercem seus direitos com mais intensidade, sem receio. É a tecnodesinibição”

“Empresas precisam atuar com agilidade, focando os desejos dos consumidores, que mudam constantemente, e interagindo com eles.”

“A internet potencializa o desejo dos consumidores de se expressarem e muda sua relação com as marcas”

“O que vale hoje é a capacidade de fazer com que as pessoas se engajem mais com as marcas e os produtos das empresas.”

“O grande desafio do marketing hoje é mudar do conceito de impressões para o conceito de expressões.”

“Cada vez mais as pessoas estão conectadas e querem cada vez mais se engajar em causas positivas”

“O Facebook visa dar as pessoas o poder de compartilhar e tornar o mundo mais aberto e mais conectado.”

“A Internet está sendo reconstruída ao redor das pessoas. É a era da Internet com as pessoas no centro.”

“4 grandes necessidades humanas: informação, entretenimento, comunicação e o social.”

“Os ciclos de disrupção estão cada vez mais curtos”

“As hierarquias não tem muita relevância em empresas inovadoras como Google e Facebook. Na verdade, eles estimulam o caos.”

Joichi Ito

“Pensem em ecosistemas e em plataformas e não em produtos. Pense em modelo de negócios”

“Aprendizado é mais importante que educação”

“Ninguém ganha um prêmio Nobel fazendo o que mandaram fazer”

“Desobediência não é falta de respeito. Você tem que sempre questionar”

“Reconhecimento de padrões é essencial para desenvolver a visão periférica e, dessa forma, ampliar suas perspectivas”

“Abrace o acaso(serendipidade). A sorte acontece o tempo todo a sua volta, é apenas uma questão de ver ou não”

“A bússola é mais importante do que o mapa”

“Com a Internet e a colaboração en redes sociais, a emergência está acima da autoridade e onde o poder vem de baixo”

“Com a Internet, a prática venceu a teoria. Principais empresas inovadoras constroem primeiro e depois elaboram teoria”

“Colaboração e computação contribuem p/diminuir custo de distribuição e, consequentemente, reduz também custo de inovação”

“A Internet é um monte de peças soltas e conectadas, mas só funciona se as peças foram humildes”

“A Internet não é uma grande máquina planejada, é um monte de peças soltas e tudo conectado”

“Os tempos atuais são de mudanças sem pedir permissão”

“Antes da Internet -> poder centralizado nos governos e empresas grandes. Depois da Internet-> poder distribuido pelos consumidores”

“A lei da demanda e da oferta não funcionam mais depois da Internet”

“O mundo do século passado não precisava de tantas pessoas criativas quanto no século atual”

Roger Martin

“A busca do equilíbrio entre o pensamento analítico e o pensamento intuitivo pode ser a chave para que as empresas passem a ser mais inovadoras.”

““Não haverá o que impeça as empresas de serem mais inovadoras se forem capazes de abrir caminho para o pensamento intuitivo”.”

“O Pensamento analítico existe para produzir confiabilidade. Isso só é possível se observarmos dados do passado. O pensamento intuitivo, por sua vez, caminha em direção à validade, o que seria possível alcançar obter a partir de repostas que serão dadas no futuro.”

“As empresas tendem a buscar melhor desempenho por meio da repetição de antigas estratégias, tentando aprimorar a execução das ações. Isso pode até ser eficiente num primeiro momento, mas não é nada inovador. É agir como o tenista que bate cada vez mais forte na bola, em vez de tentar um lance diferente para superar o adversário.”

“Involuntariamente, a filosofia administrativa de algumas empresas acaba matando as ideias inovadoras no berço. Nenhuma nova ideia na história pode ter sucesso comprovado antecipadamente por meio do pensamento analítico”

“Empresas que querem inovar têm de colocar a inovação no topo de sua lista de prioridades e empregar gente qualificada e recursos suficientes.”

Um abraço.

“I believe in change”

Twitter: @blogdomarcelao

 

Posted in Colaboração, Consumidor 2.0, Empreendedorismo, Frases Marcantes, Gestão 2.0, Gestão de mudanças, Gestão de pessoas, Gestão de Projetos, Gestão do Conhecimento, Inovação, liderança, Nova Economia, Poder do consumidor | Etiquetado: , , , , , , , , | Leave a Comment »

Newton X Darwin nas Empresas

Posted by marcelao em novembro 12, 2012


Pessoal,

esse post é mais um que tem o objetivo de compartilhar as impressões e as tendências que, do meu ponto de vista, terão grande influência no mundo empresarial. Esse post especificamente vamos falar da mudança de um modelo baseado na fisica clássica Newtoneana para um modelo mais próximo da Teoria de Darwin.

Do meu ponto de vista, o mundo que vivemos atualmente é caracterizado pelo aumento da velocidade da mudança e, consequentemente, pelo aumento da complexidade dos sistemas e das relações. Tal cenário vai contra as premissas sobre as quais a maioria das organizações cresceram. As empresas, principalmente as mais antigas, cresceram sobre a ótica da fisica de Newton que estabelecia uma exata correspondência entre causa e efeito e de que havia a certeza que até mesmo as mais complicadas situações poderiam ser resolvidas por meio de interações de umas poucas leis simples e, dessa forma, prever o comportamento dos mais complexos sistemas ao longo do tempo.

No entanto, ao longo do tempo, a fisica clássica de Newton mostrou-se inadequada em diversas situações e vem sendo gradativamente substituída pela visão de que mesmo mudanças diminutas podem acarretar desvios radicais no comportamento de sistemas. Na verdade, chegou-se a conclusão que, ao contrário da filosofia de Newton, os sistemas tendem, espontânea e irreversivelmente, a um estado de desordem, ou de entropia crescente.

As premissas da fisica Newtoniana funcionaram muito bem enquanto as empresas controlavam o poder na economia, pois, dessa forma, era possível controlar a incerteza com o estabelecimento de diversos modelos e metodologias padrões, o que acabou por reforçar que as empresas eram sistemas fechados, ou seja, não eram impactados por mudanças externas ao seu sistema.

Sob essa visão, as mudanças são previsíveis – e podem ser antecipadas, pelo menos no horizonte de implementação dos planos. As decisões tomadas são comunicadas – e executadas fielmente ao longo da cadeia de comando. A consequência disso é que esse modelo mental foi reproduzido no tratamento as pessoas, tanto do ponto de vista delas como consumidores como também como trabalhadores.

Ocorre que a Internet, grande vetor da velocidade da mudança nos tempos atuais, é um sistema complexo e aberto formado por redes de agentes individuais que interagem para criar um comportamento autogerenciado, mas extremamente organizado e cooperativo. A Internet, cuja premissa básica é seu caráter público, possibilita a esses agentes individuais feedback do ambiente e, em função dele, ajustar seu comportamento, aprendendo com a experiência e retornam o aprendizado na estrutura desse mesmo sistema. Continue lendo »

Posted in Colaboração, Gestão de mudanças, Inovação, Nova Economia | Etiquetado: , , , | Leave a Comment »

Diversidade = Antídoto para Complexidade

Posted by marcelao em outubro 25, 2012


Man Woman Face People Problem Puzzle

Pessoal,

diante da complexidade que envolve os problemas atuais na economia e na sociedade, cresce cada vez mais em importância estudar a totalidade do sistema,  porque nenhuma colagem de estudos parciais de um sistema complexo e não linear pode dar uma boa idéia do comportamento do todo. Quando comparamos a maneira como as coisas foram feitas, como elas são feitas e como deverão ser feitas, não chegamos a nenhum tipo de certeza. O que podemos supor é que nossa forma de pensar precisa ser ajustada para lidar com as incertezas que temos pela frente.

Como escrevi no post anterior, cada vez mais cresce a importância de construir equipes interdisciplinares para que uma empresa tenha mais chances de gerar soluções inovadoras por meio de uma atitude que requer reflexão e desprendimento de forma a favorecer o criação de visão interdisciplinar. Dessa forma será possível combinar diferentes perspectivas e buscar encontrar a síntese existente na combinação dessas perspectivas.

Tudo isso refere-se ao cruzamento de conhecimentos técnicos, mas como seria a composição de uma equipe interdisciplinar do ponto de vista de personalidade de cada individuo?

Segundo Paul Torrance, professor e psicólogo americano, para o ato de criatividade em geral, insumo básico para qualquer processo de inovação, contribuem, além do conhecimento, certos traços de personalidade e características cognitivas.

Como os processos cognitivos que dizem respeito aos processos psicológicos envolvidos no conhecer, perceber, aprender, etc., fazem referência à forma como o indivíduo lida com os estímulos do mundo externo, as habilidades intelectuais, analisadas por Torrance, caracterizam os traços que fazem com que certos indivíduos sejam mais criativos do que outros, ou então, apresentem diferentes perfis de criatividade. Elas estãoclassificadas por indivíduo em habilidades cognitivas, produtivas e avaliativas:

– as habilidades cognitivas enfatizam no indivíduo criativo as características dos traços como a fluência, flexibilidade, originalidade, elaboração, e respectivos estilos presentes, tais como, gerador, conceitualizador, otimizador e implementador;

– as produtivas estão relacionadas ao uso de produtos com funções já organizadas, isto é, a descobertas de respostas convencionais e previsíveis;

– as avaliativas determinam se os produtos com funções já organizadas e conhecidas são adequados, convenientes e se corretos ou não.

Torrance, dedicando-se ao estudo da criatividade como o resultado de habilidades intelectuais, enfatiza as características dos traços individuais como a fluência, flexibilidade, elaboração e originalidade da seguinte maneira:

Fluência:   sua característica é a facilidade com que o indivíduo utiliza seu conhecimento, a partir de informações pessoais registradas, para apresentar uma resposta à um problema ou estímulo existente, e cujas funções encontram-se parcialmente conhecidas. Segundo Torrance, o escore é dado pelo número de diferentes respostas apresentadas.

Continue lendo »

Posted in Gestão de mudanças, Gestão do Conhecimento, Inovação, Nova Economia | Etiquetado: , , , , , | 1 Comment »

Manifesto Incompleto pela Criatividade

Posted by marcelao em outubro 9, 2012


Pessoal,

a criatividade é a matéria-prima da inovação. Nesse sentido, criar um ambiente propício para o surgimento da criatividade é vital para qualquer empresa. Em 1998, o designer canadense Bruce Mau fez uma seleção de práticas e ações para motivar e liberar a criatividade. Seu objetivo inicial era visando os designers, mas conceitualmente esse manifesto aplica-se a qualquer profissão.

Bruce Mau acredita que o Design é uma nova maneira de aumentar a qualidade do ensino das crianças e assim, gerar inovadores profissionais no futuro. Ele entende que o poder do design não tem limites, e tem a capacidade de trazer mudanças positivas em uma escala global.

Mau acredita que, em tempos de abundância, que devemos perseguir a grande questão da vida: “Agora que podemos fazer qualquer coisa, o que faremos?”. Isso explica porque o Manifesto Incompleto ganhou esse nome justamente por ter um desenvolvimento contínuo.

Abaixo, segue uma seleção de algumas afirmativas contidas no manifesto que considerei as mais importantes:

  • Permita-se mudar com os acontecimentos: Você tem que estar disposto a crescer. Crescimento é diferente de algo que acontece com você. Você pode produzi-lo. Você vive isso. Para um crescimento significativo, é preciso estar aberto para experimentar eventos e a vontade de ser mudado por eles.
  • Esqueça o bom: Bom é uma quantidade conhecida. Bom é o que todos nós concordamos.
  • O crescimento não é necessariamente o bom: Crescimento é uma exploração constante.  Se você já se contentar com um bom, você nunca vai ter um crescimento real.
  • Não deixe de lado os erros acidentais: A resposta errada é a resposta certa em busca de uma questão diferente. Colecione respostas erradas como parte do processo. Faça perguntas diferentes. Continue lendo »

Posted in Colaboração, Gestão 2.0, Gestão de mudanças, Gestão de pessoas, Gestão do Conhecimento, Inovação, Nova Economia, Uncategorized | Etiquetado: , , , , | 1 Comment »

Internet e a Experiência de Consumo

Posted by marcelao em outubro 1, 2012


Pessoal,

a Internet criou novas fronteiras e continuará quebrando por muito tempo, principalmente após o advento das redes sociais. O Vídeo abaixo mostra como a Internet criou novos conceitos e novas formas de relacionamento com o consumidor moderno e a importância dessas mudanças na experiência do cliente.

Estamos vivendo uma nova era na economia caracterizada principalmente pela abundância, não pela escassez, e pela trasferência de poder, fluindo das empresas para os consumidores. A empresa que não perceber essa mudança, vai se encaminhar para o cemitério das CNPJs.

Um abraço.

“I Believe in change”

Twitter: @blogdomarcelao

Um abraço.

Posted in Consumidor 2.0, Gestão de mudanças, Inovação, Nova Economia, Poder do consumidor | Etiquetado: , , , , , | 1 Comment »

Resistência a Mudança: 10 razões

Posted by marcelao em setembro 27, 2012


Pessoal,

implementar mudanças em qualquer ambiente é sempre um grande desafio para qualquer empresa, no entanto, a mudança é uma realidade sempre presente na humanidade, o que mudou nos últimos tempos é que ela se tornou muito mais frequente do que no passado. Mudar nunca foi fácil e sempre encontrará resistências. No blog da Harvard Business Review, a professora Rosabeth Moss Kanter listou 10 razões para as pessoas resistirem a mudança, as quais listo abaixo com meus comentários:

Perda de controle da mudança -> Mudança mexe com a autonomia das pessoas no exercício de suas atividades fazendo com que as pessoas tenham a sensação  de perda de controle do seu território. Isso se deve ao fato que a mudança mexe com a relação de poder das pessoas. O importante nessa hora é promover empatia e entender quais as motivações e como as pessoas encaram a mudança fazendo-as participar do processo de planejamento da mudança;

Incerteza Alta -> as pessoas têm medo do desconhecido e do novo. Nosso cérebro é preparado para nos preservar do excesso de informação e, por essa razão, procura categorizar as informações que filtra. Mudar os paradigmas construídos com essa categorização é um processo demasiadamente doloroso. Nesse sentido, um processo de comunicação que vise mostrar as razões e os beneficios da mudança torna-se mais importante do que comunicar como a mudança será executada; Continue lendo »

Posted in Colaboração, Gestão 2.0, Gestão de mudanças, Gestão de pessoas, liderança | Etiquetado: , , , | Leave a Comment »

Forum HSM Novas Fronteiras: O Fator Automação

Posted by marcelao em setembro 5, 2012


Pessoal,

uma dos aspectos que ficou bastante evidente no Forum HSM Novas Fronteiras da Gestão é que a tecnologia e a ciência estão avançando cada vez mais rápido e rompendo até mesmo com os limites da física de tempo, espaço e massa. O Vídeo abaixo mostra um protótipo de robô carregando 120 kilos, mas que consegue se adaptar rapidamente a qualquer tipo de terreno e continua progredindo:

O segundo vídeo mostra os robôs adotados pela Amazon, conhecidos como Kiva, que organizem o estoque da Amazon segundo a demanda pelos produtos, ou seja, os produtos menos demandados são colocados mais para o fundo da loja, enquanto que os mais demandados ficam mais próximo do setor de empacotamento para agilizar o processo de envio de pedidos:

O que podemos enxergar como tendência é que tudo aquilo que for possível de ser executado por um computador, será executado por um computador. E mais do que substituir pessoas, a tecnologia e a ciência diminuindo cadeias de fornecimento e processo.

Quando comecei a trabalhar com tecnologia, havia um setor responsável pelo digitação dos dados dos documentos, esses dados eram empacotados em arquivos e transmitidos para a central de processamento, após processados eram gerados relatórios para conferir se os dados foram digitados corretamente. Hoje em dia, não existe mais esses 3 passos: Digitar, empacotar e conferir. A grande maioria das transações financeiras é realizada de forma totalmente digital. Cheques, depósitos em papel, ordens de pagamento viraram pó na cadeia bancária. Isso sem falar em outros processos como armazenamento dos documentos, encaminhamento para incineração e outros processos mais.

Diante desse avanço, seremos exigidos a desenvolver novas habilidades e competências que o computador não poderá reproduzir. Aliás, a automação é uma das 3 forças sociais e economicas apontadas por Daniel Pink, em seu livro “O Cérebro do Futuro”, que nos obrigam a desenvolver habilidades mais ligadas ao lado direito do cerébro.

No meu post anterior, eu mencionei as habilidades a serem desenvolvidas pelas pessoas no século XXI(clique aqui para ler), mas vale também resgatar os seis aptidões, simbolizadas por seis sentidos, apontados por Daniel Pink: Continue lendo »

Posted in Empreendedorismo, Gestão 2.0, Gestão de mudanças, Inovação, liderança, Nova Economia | Etiquetado: , , , , , , , , | Leave a Comment »

Forum HSM Novas Fronteiras: Mundo dos “sem”

Posted by marcelao em agosto 28, 2012


Pessoal,

na semana passada participei do Fórum HSM – Novas Fronteiras da Gestão realizado entre os dias 21 e 22.08. Nesse evento, a HSM investiu em um formato que buscava mostrar as mudanças pelas quais o mundo vem passando e que tem sua origem no avanço exponencial que a ciência e a tecnologia desenvolveu ao longo dos últimos 10 anos.

A sintese que eu faria do conteúdo apresentado no evento seria colocando que vivemos um mundo de vários “sem”. Primeiramente, vivemos um mundo sem fronteiras onde as possibilidades que a ciência e a tecnologia são praticamente infinitas e ainda pouco explorada, ainda que tenha avançado muito. O acesso fácil e a maior disponibilidade da informação nos tempos atuais mudou tudo. Como disse Walter Longo em sua palestra, há 500 anos atrás apenas o clero tinha acesso a cultura e informação em grande quantidade e de grande qualidade, há 300 anos atrás somente os nobres passaram a ter também acesso a esses conteúdo, há 100 anos os ricos se juntaram a esse grupo, aos 30 as pessoas que viviam em grandes cidades e há 10 anos toda a população mundial passou a ter acesso a toda informação existente no mundo. Todo esse acesso amplia as possibilidades e muda o comportamento de toda uma sociedade. Continue lendo »

Posted in Gestão de mudanças, Inovação, Nova Economia | Etiquetado: , , , , | 1 Comment »

A verdade está lá fora

Posted by marcelao em agosto 7, 2012


Pessoal,

o título do post é frase bastante conhecida pelos fãs da série “Arquivo-X”, mas ela poderia também ser um mantra para as empresas que desejam manter-se competitivas no século atual.

Isso se deve ao fato que, com o crescimento das redes sociais, a relação de forças no jogo econômico mudou. Hoje são os consumidores que detém o maior poder na economia, pois as midias sociais possibilitaram que as pessoas articulem-se em prol de objetivos comuns que antes não eram possíveis.

historicamente muitos mercados eram protegidos por fortes barreiras de entrada, como a Inércia dos Consumidores (relutância ou preguiça para mudar), Restrições de Capital (financiamentos caros e inacessíveis), Economias de escala (métodos de produção que favoreciam grandes quantidades) e Tecnologias proprietárias (marcas e patentes).

Tais restrições foram caindo paulatinamente com a crescente desregulamentação e afrouxamento de leis, bem como evoluções tecnológicas disruptivas.

No passado, a colaboração era de pequena escala, pois uma quantidade excessiva de pessoas era excluída da circulação de conhecimento, poder e capital, e portanto, participava das margens da economia. Ela ficava restrita em pequenos territórios como comunidades, locais de trabalho e acontecia apenas entre amigos, parentes e sócios nesses locais. Com o advento da Internet e da WEB 2.0 tudo mudou, pois torna o acesso dessas pessoas a apenas um click no mouse o que coloca todas essas pessoas para participarem da inovação e da criação de riqueza em cada setor da economia. Continue lendo »

Posted in Colaboração, Consumidor 2.0, Gestão 2.0, Gestão de mudanças, Inovação, Nova Economia | Etiquetado: , , , , , , | Leave a Comment »

6 Hábitos de Pensadores Estratégicos

Posted by marcelao em abril 15, 2012


Pessoal,

o cotidiano de um gerente é cheio de tentações que o atraem para lidar apenas com micro-atividades ou de curto-prazo porque sempre parece ser mais urgente e concreto. No entanto, tal atitude pode acarretar vários riscos a perenidade de sua empresa, pois o mundo muda em uma velocidade que é muito dificil acompanhar, principalmente em uma economia onde é o consumidor que possui maior poder de negociação e, diante disso, as empresas precisam acompanhar a velocidade na mudança das necessidades de sua principal razão de existir que são seus clientes.

Diante de tal realidade, cresce cada vez mais a importância de desenvolvermos habilidades relacionadas a pensar estrategicamente nossas empresas. Nesse sentido, inspirado em um artigo do professor Paul Schoemaker que li recentemente, apresento seis habilidades que, na minha opinião, os lideres devem desenvolver se quiserem pensar estrategicamente suas empresas:

– Antecipe: Vale a máxima “É melhor previnir do que remediar”. Pensar apenas no cotidiano pode leva-lo a não enxergar movimentações de seus concorrentes o que deixa sua empresa vulnerável para perda de mercado. Nesse sentido, é preciso acompanhar a mudança nas necessidades de seus clientes e como eles utilizam os produtos. Procure olhar de forma conceitual para as necessidades de seus clientes, pois, como diria Peter Drucker, o que seu cliente precisa não é de uma furadeira, mas sim de um furo na parede;

– Pense criticamente: O chamado senso-comum é na maioria das vezes baseado no olhar que as pessoas tem sobre o passado, naquilo que deu certo até agora. Pensar criticamente ajuda você olhar com mais carinho para dados que são desprezados pela grande maioria e faz com que você comece a enxergar problemas ou soluções futuras ainda na fase de concepção, possibilitando que você se antecipe e se prepare melhor para a mudança que está por vir. Procure desafiar crenças e mentalidades atuais, inclusive as suas e, principalmente, não se deixe manipular por PRÉ-CONCEITOS;

– Interprete: Sempre há uma tentação pela solução rápida. Muitas pessoas sentem-se angustiadas porque tem a percepção de que nossas vidas estão muito corridas. Mas precisamos desesperadamente, afastarmos um pouco para refletir com calma sobre nossas próprias experiências. Afinal de contas, ninguém entende o significado de suas experiências sem reflexão. Explore diversas opções, dê meia volta e tente outra quando a primeira não funcionar;

– Decida: Não se deixe paralizar pela análise. Vivemos em um mundo cada vez mais complexo e, devido a essa alta complexidade, existem muitas variáveis a serem consideradas em qualquer processo. Portanto, é impossível termos todas as informações disponíveis para tomar a decisão 100% perfeita. Isso aumenta mais ainda a chance de erro nas nossas decisões, mas isso não pode ser justificativa para tornar o processo decisório vagaroso e retardar a ação. Uma coisa é certa, nenhuma decisão considerará todas as variáveis e nenhuma decisão conseguirá agradar a todos, mas a ausência de decisão e ação é meio caminho andado para o fracasso de um projeto ou de uma empresa;

– Alinhe: Consenso total é utopia. Também não se deixe levar pela maioria, afinal de contas, como disse em post anterior, se a maioria tivesse razão sempre, nenhuma eleição poderia ser contestada. Isso não significa que você não deva promover o diálogo aberto, mas sim que você deve procurar entender os motivos de cada pessoa que participa do processo do debate de ideias, entender seus vieses e procurar agir de forma integrar os diversos pontos de vistas apresentados;

– APRENDA: A mais importante de todas as habilidades. Entenda que o sucesso e, principalmente, o fracasso são fontes abundantes de aprendizado. Utilize o erro como instrumento pedagógico e não como instrumento de punição. Não se trata de tentar para errar e depois aprender, mas sim de tentar e, se errar, aprender com o erro.  Não existe inovação sem assumir riscos e assumir riscos é saber que erros podem acontecer, a diferença está em como aprendemos com nossos erros. Nesse sentido, o papel do líder é de criar ambiente propício para que as pessoas sintam-se confiantes para arriscar e orientar os membros da equipe a aprender com os erros cometidos.

Pensar estrategicamente é como se enxergássemos nossas empresas como uma tapeçaria tecida a partir dos fios da reflexão, análise, visão de mundo, colaboração e proatividade, todos unidos pelo fio da integridade social. Afinal de contas, empresas são abstrações. O que vale, de verdade, são as pessoas dentro delas. Empresas são redes interativas, não hierarquias verticais. Empresas são redes sociais tecidas e integradas pelos fios do conhecimento.

Um abraço.

“I Believe in change”

Twitter: @blogdomarcelao

Posted in Gestão de mudanças, liderança, Planejamento Estratégico | Etiquetado: , , , , , | Leave a Comment »

 
%d blogueiros gostam disto: