Blog do Marcelão

Blog para debate sobre excelência na gestão.

A Arte como Salto na Gestão

Posted by Marcelão em janeiro 16, 2018


diversidade crianças

PessoALL,

uma das 6 categorias criadas por Gary Hamel quando propôs os 25 desafios da gestão (moonshots for management) é a categoria “Expandir Modelos Mentais”.

Para entendermos isso, é preciso resgatar que os modelos de gestão atuais foram construídos com base em princípios científicos, ou seja, baseia-se em princípios de racionalidade com base em critérios conhecidos, muitas vezes matenáticos, para tomada de decisão fundamentando-se em uma lógica clara em que seja possível prever o efeito de suas ações.

Ocorre que, como já foi dito antes aqui nesse blog, inovar não se trata de ser apenas racional, é preciso levar em conta o lado emocional das pessoas e das circunstâncias que envolvem as situações que precisamos analisar. Se ainda tem dúvidas disso, faço a seguinte pergunta: Qual a métrica que podemos utilizar quando tratamos de projetos de inovação? Como medir em números algo que não foi feito antes?

Não se trata de expurgar os princípios científicos do pensamento de gestão, mas sim de ir além dele, de complementá-lo. Nesse sentido, a categoria “Expandir Modelos Mentais” aplica-se de forma perfeita.

Vejamos os desafios que se enquadram nessa categoria:

  • Reconstruir as bases filosóficas da gestão -> A organização de amanhã precisa ser adaptável, inovadora, inspiradora e socialmente responsável, bem como excelente em termos operacionais. Para imbuir a organização desses atributos, acadêmicos e gestores precisam reerguer os alicerces da gestão. Para tanto, terão de buscar novos princípios em campos distintos como a antropologia, a biologia, o design, a ciência política, o planejamento urbano e a teologia;
  • Reaparelhar gerentes para um mundo aberto -> Novos modelos de negócios apostam cada vez mais em redes de geração de valor e formas de produção social que transcendam as fronteiras organizacionais. Nesse ambiente, ferramentas de gestão que se apóiam no poder conferido pelo cargo provavelmente serão ineficazes ou contraproducentes. Numa rede de voluntários ou agentes legalmente independentes, o “líder” precisa energizar e ampliar a comunidade, em vez de administrá-la do alto. O sucesso exige, portanto, a criação de novas abordagens à mobilização e à coordenação do esforço humano;
  • Recapacitar mentes gestoras – O foco do treinamento de gerentes sempre foi ajudar o líder a desenvolver um arsenal específico de habilidades cognitivas: o uso do lado esquerdo do cérebro, o raciocínio dedutivo, a solução analítica de problemas e a engenharia de soluções. O Gerente de amanhã precisará de novas habilidades, entre elas o aprendizado reflexivo ou de duas voltas(Double-loop), o raciocínio baseado em sistemas, a resolução criativa de problemas e o raciocínio movido a valores. Faculdades de administração e empresas reformular programas de capacitação para ajudar o executivo a adquirir esse tipo de habilidade e reorientar sistemas de gestão para incentivar sua aplicação.

De forma a contribuir para essa questão, gostaria de debater sobre uma apresentação realizada no TED pelo fundador da Rhode Island School of Design, John Maeda. John Maeda é uma pessoa dedicada a conectar o Design e a Tecnologia nos modelos de negócio passando pelo campo da liderança nas empresas.

A partir da palestra de John Maeda, eu entendo que o modelo de gestão para as empresas deveria ser baseado em 4 pilares, a saber:

  • Tecnologia: Torna possíveis as ideias;
  • Design: Constrói  e dá forma as soluções;
  • Arte: Faz as perguntas certas;
  • Liderança: Gera Ações;

Em sua palestra no TED, cujo vídeo está anexado abaixo, John Maeda discursa sobre a intersecção das 3 primeiras e em como elas se conectam com a liderança.

Nesse post, vou focar no elemento da arte como um pilar para modernização da gestão, até porque tecnologia, design e liderança já são assuntos muito comentados aqui nesse espaço.

Conforme John Maeda afirma, arte é sobre fazer perguntas. Eu acrescentaria que arte também é sobre ter um olhar mais aprofundado e mais verdadeiro da realidade. Quantas vezes nos deparamos com uma obra de arte, principalmente as abstratas, e fazemos a pergunta: O que é arte nisso?

Eu também já me fiz essa pergunta várias vezes e confesso que isso me incomodou algumas vezes. Mas, como tudo aquilo que me incomoda e desperta minha curiosidade, coloquei isso no meu radar de curiosidades. Arte não é para ser entendida, é para ser imaginada, é para você imaginar a história por trás daquela arte, as motivações, o contexto por trás daquela obra e o porquê alguém fez aquela arte.

Estive no Museu do Vaticano em abril de 2017 e uma das alas que mais me chamou a atenção foi a área onde estavam as obras dos tempos do faraó, da idade antiga. Vejam só as duas figuras abaixo:

 

Ao olhar essas obras, algumas perguntas, sem respostas, vieram a minha mente como, por exemplo, o que o artista quis transmitir com essa obra, quão habilidoso era esse artista para construir algo com ferramentas tão rústicas considerando os tempos atuais, como ele conseguiu construir algo com tanto harmonia de traços, a quem ele queria homenagear, como ele conseguiu essa perfeição, entre outras perguntas.

E aí vem o ponto sobre a arte como pilar da modernização da gestão. Na nossa correria do cotidiano, talvez estejamos preocupados demais em procurar as respostas e estamos esquecendo de visualizar,imaginar e refletir e a partir daí fazermos as perguntas. A intenção da arte não é que você a entenda, mas sim que você a imagine e leve você a fazer perguntas.

E a arte está em tudo o que fazemos de formar manual, artesanal. Eu mesmo estive procurando algo para fazer que não fosse um trabalho propriamente dito, mas algo como lazer, como arte. Cozinhar é uma arte. Daí pensei, eu gosto de comer carne, principalmente em churrasco. Daí comecei a pesquisar sobre churrasco e a fazer churrasco. Descobri que há muito mais por trás do trabalho do garçom de trazer o churrasco a sua mesa e colocar no seu prato. Existem os cortes, a altura da carne na churrasqueira, como cada carne deve ser preparada, a função do sal grosso, etc. E quanto mais informação eu tenho, mais perguntas eu quero fazer, mais informação eu quero obter e mais eu quero fazer diferente.

E onde está a ligação da arte com a liderança? A arte é sobre fazer perguntas e liderança é algo que está fazendo muitas perguntas, principalmente porque as pessoas hoje são muito mais questionadoras e, consequentemente, os sistemas hierárquicos, que é como conduzimos muitos sistemas hoje, já não funcionam mais porque foram modelados para pessoas que não pensam, além de terem sido corrompidos principalmente pela busca do poder. O Contexto atual está fazendo que as lideranças façam perguntas, que procuram agir diferentes, que promovam conexões.

Diversidade

Você, como Presidente de uma empresa, faça essa pergunta: Quanto eu conheço realmente os funcionários da minha empresa? Qual o perfil das diversas tribos que existem dentro da minha empresa? São todos iguais ou são diferentes?

O maior desafio da liderança nos tempos atuais é conectar conexões improváveis e esperar que algo aconteça, está em conectar pessoas aparentemente diferentes, mas que, na essência, possuem algo em comum, pois todas possuem histórias de vida, motivações, anseios, … Está em promover a diversidade.

Dessa forma, arte e liderança está em conectar pessoas improváveis, em promover a diversidade e como fazer isso é maior pergunta dos tempos atuais, e isso se transforma em um grande desafio de Design, mas que, com toda tecnologia de mídias sociais e de comunicação existente atualmente, está se tornando cada vez mais possível responder a essa pergunta, basta visualizar, imaginar e refletir.

Keep the Faith.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: