Blog do Marcelão

Blog para debate sobre excelência na gestão.

Forum HSM Novas Fronteiras: Mundo dos “sem”

Posted by marcelao em agosto 28, 2012


Pessoal,

na semana passada participei do Fórum HSM – Novas Fronteiras da Gestão realizado entre os dias 21 e 22.08. Nesse evento, a HSM investiu em um formato que buscava mostrar as mudanças pelas quais o mundo vem passando e que tem sua origem no avanço exponencial que a ciência e a tecnologia desenvolveu ao longo dos últimos 10 anos.

A sintese que eu faria do conteúdo apresentado no evento seria colocando que vivemos um mundo de vários “sem”. Primeiramente, vivemos um mundo sem fronteiras onde as possibilidades que a ciência e a tecnologia são praticamente infinitas e ainda pouco explorada, ainda que tenha avançado muito. O acesso fácil e a maior disponibilidade da informação nos tempos atuais mudou tudo. Como disse Walter Longo em sua palestra, há 500 anos atrás apenas o clero tinha acesso a cultura e informação em grande quantidade e de grande qualidade, há 300 anos atrás somente os nobres passaram a ter também acesso a esses conteúdo, há 100 anos os ricos se juntaram a esse grupo, aos 30 as pessoas que viviam em grandes cidades e há 10 anos toda a população mundial passou a ter acesso a toda informação existente no mundo. Todo esse acesso amplia as possibilidades e muda o comportamento de toda uma sociedade.

Isso leva a outro “mundo sem” que é o mundo dos “sem” intermediários. Não existe mais diferenciação entre produtores e consumidores de conteúdo, qualquer um pode ser produtor de conteúdo, pois ele não depende mais de um intermediário, como uma midia de massa como o jornal, para publicar suas ideias ou opiniões. Se antes a comunicação era de 1 produtor para N consumidores, agora ela é de N produtores/consumidores para N produtores/consumidores.

Outro exemplo de mundo sem fronteiras entre produtores e consumidores também se faz presente no comércio, pois cada vez mais as empresas buscam desenvolver produtos em conjunto com seus clientes. Walter Longo citou inclusive o caso de uma empresa européia em que você pode mandar o desenho que seu filho fez na escola, como um animal ou robô desenhado em alguma aula, e a empresa produz e, além de produzir, coloca a venda no site para compra por outros clientes e parte do lucro é destinado a criança que desenhou o produto. Aqui no Brasil temos um modelo semelhante com a empresa Camiseteria do empreendedor Fábio Seixas em que você manda um desenho para uma estampa de camisa, essa estampa é votada pelos clientes e se ela obtiver um alto indice de votação, ela é produzida em massa e seu criador recebe parte dos lucros com as vendas.

O mais importante dos “mundo sem” é o mundo sem barreiras para acesso a conteúdo de qualidade. Costumo dizer em minhas palestras que só não tem estudo de qualidade quem não quer, pois universidades como Harvard, MIT, Stanford estão disponibilizando conteúdo de forma gratuita em seus portais na web. Algumas delas já adotam o modelo Freemiun de comércio onde você pode até fazer um curso de graça, mas para obter o certificado de comprovação é preciso pagar por ele. Aqui no Brasil, recentemente a USP disponibilizou 800 video-aulas em seu portal na web.

Mas ainda existe um “mundo sem” a ser desbravado. O mundo sem limites para a imaginação dentro das empresas. A maioria das empresas ainda possuem um modelo mental pelo menos uns 15 anos ultrapassado. Ainda não perceberam a velocidade da mudança que a ciência e a tecnologia aceleraram. A maioria das empresas ainda enxergam a tecnologia e a ciência como meios de fazer as coisas mais rápido e mais barato, quando deveriam enxergar a tecnologia e a ciência como possibilitadoras de fazer coisas totalmente diferentes.

Somente enxergando a tecnologia e a ciência como possibilitadoras de realizar coisas consideradas impossíveis é que o mundo sem limites para imaginação seja criado dentro das empresas. As empresas precisam exercitar cada vez mais a habilidade de pensar no impossível.

Um abraço.

“I believe in change”

Twitter: @blogdomarcelao

Uma resposta to “Forum HSM Novas Fronteiras: Mundo dos “sem””

  1. sergio borges said

    Concordo que a inovação e um fator importânte , porém e histórico que as grandes empresas começaram de pessoas muito simples com uma visão estraordinaria , David Neeleman atual presidente da Azul salientou que leu até hoje somente um livro ( A HORA DA VERDADE ) e conhecemos doutores que não conseguem passar aos alunos imformações para tomada de decisão , acredito que precisamos mudar , porém com equilibrio de um Mauricio Botelho e a sensibilidade de um Nizan Guanaes , ou continuarmos sendo coadjuvante desta história que chamamos sucesso .

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: