Blog do Marcelão

Blog para debate sobre excelência na gestão.

Pontos, Verdades e Vistas

Posted by marcelao em agosto 16, 2011


Pessoal,

no post anterior, eu recebi vários comentários que serviram como feedback ao texto e me deixaram bastante feliz com a participação dos leitores desse blog, mas um dos comentários postados no meu blog pessoal foi muito relevante e importante para complementar o post. Esse comentário foi do meu amigo José Augusto que escreveu o seguinte:

“Gostaria de fazer um comentário, para não perder o costume. Seguinte: quando você dá suas duas razões para seu “erro” (i.e.: “cada pessoa tem o seu tempo” e “as pessoas precisam de algo mais tangível para entender qualquer proposta de mudança”), fica subentendido que você tem a verdade, você sabe o que é certo e o que é melhor para todos, só não conseguiu implementar ainda por um erro de estratégia composto pelas duas razões acima, porém, sendo que essas duas razões estão nas pessoas, ou seja, o “erro” está nas pessoas e não em você.”

Perfeito e vai ao encontro com um ensinamento e uma constatação de que não existe Certo ou Errado, mas sim visões diferentes de uma mesma situação ou problema, ou como diria o professor Mario Sergio Cortella: “Um ponto de vista é a vista a partir de um ponto”.

Ninguém é dono da verdade, aliás, ninguém é dono de toda a verdade. É como disse a Adriana, em seu post no blog da HSM(clique aqui para ler), de que o oposto de sua verdade também pode ser verdadeiro. Nesse contexto, vale mais do que nunca aquela velha lei da física de que os opostos se atraem, e eu completaria afirmando que mais do que se atrairem, eles se complementam.

O comentário do José Augusto concedeu-me a oportunidade de esclarecer alguns pontos do meu post, pois não quero deixar a impressão de que eu sou o dono da verdade e que apenas estou mudando a estratégia para convencer as pessoas de que estou certo. Nunca foi minha intenção. O que gostaria de deixar claro é que você deve aplicar a mudança que você acredita, pelo simples fato de que é porque VOCÊ acredita e não porque os outros devem acreditar ou devem se convencer da sua verdade.  Ninguém muda ninguém, nós só podemos mudar a nós mesmos e essa mudança muitas vezes ocorre ao interagirmos com outras pessoas, tendo humildade suficiente para aprender com outras pessoas.

Muitas das nossas maiores conquistas na ciência, no direito, na economia e em todas as atividades intelectuais que empreendemos foram frutos do nosso desenvolvimento como pensadores racionais, lógicos. No entanto, esse tipo de pensamento chegou a um limite e tem nos colocado em uma armadilha que dificulta percebermos que vivemos em um ambiente repleto de ambiguidade e que é preciso saber navegar dentro desse contexto. Esse tipo de pensamento levou-nos a pensar que as coisas podem estar certas ou erradas, mas nunca as duas coisas ao mesmo tempo. Embora possa parecer ilógico, nada pode estar mais intimamente relacionado do que duas coisas opostas.

Quando se trata de encontrar a verdade, deve-se ter em mente que não existe um Santo Graal da verdade absoluta. O mundo é por demais complexo para se pensar dessa forma. Não adote posturas de quem sabe o que é melhor para os outros, pois não existem verdades absolutas, somente hipóteses que ainda não foram refutadas. O que não significa que não possamos acreditar em mais nada. Simplesmente precisamos ter mais cuidado com aquilo em que acreditamos. A verdade absoluta é sempre uma questão de fé, e fé não se discute. A verdade é sempre uma escolha pessoal. A verdade, por incrível que pareça, é individual.

Portanto, se você pretende fazer um mundo melhor, desconfie um pouco mais das teorias, aprimore seu próprio faro e senso de observação, reavalie de tempos em tempos as suas premissas, e seja muito tolerante. Embora o mundo não seja como você gostaria que fosse, lembre-se de que o seu ideal de mundo talvez não seja o que outros estão almejando.

Um abraço.

“Maybe I’m a dreamer, but i still believe”

Twitter: @blogdomarcelao

2 Respostas to “Pontos, Verdades e Vistas”

  1. MackDK said

    Marcelão,

    Essa frase “Um ponto de vista é a vista a partir de um ponto” me incomoda um pouco. Para um desenhista, dá a impressão de uma visão sem ponto de fuga e acho que o termo “ponto de fuga” cai bem quando estamos raciocinando sobre opções.

    Se você não tem um ponto de fuga em sua perspectiva, só terá condições de ver uma face de um dado e uma imagem unidimensional. Se tem um ponto de fuga, poderá girar a imagem sobre um eixo e ver duas faces e a profundidade do dado, uma imagem bidimensional. Com dois pontos de fuga, você consegue uma imagem tridimensional e consegue ver 3 faces do dado ao mesmo tempo. Com esta perspectiva, você consegue determinar o formato de um cubo (que, você sabe, forma-se “colando” seis quadrados).

    Mas o mais importante, Marcelão, é que por mais que você só consiga ver 3 lados de um dado de um ponto de vista, você sabe o que tem nos outros 3 lados. Vendo os números da face visível, você sabe quais números estão ocultos.

    Você pode usar um truque para ver mais de 3 lados de um dado ao mesmo tempo: Observe o dado em frente a um espelho. Utilizando a raiz “reflexo de um espelho”, podemos chamar isto de “reflexão”. E o interessante em um reflexo de um dado é que o valor numérico de cada face permanece o mesmo, ainda que a imagem esteja invertida.

    Outro elemento na construção de uma perspectiva é a “linha do horizonte”. A posição do ponto de vista relacionada à linha do horizonte é que irá determinar se a visão são será “topo”, “meio” ou “base”. Quanto mais amplo for seu horizonte, mais ampla será sua visão.

    Para produzir uma imagem mais realista, um desenhista irá acrescentar outro elemento: Sombras. Não vou entrar neste mérito agora, senão meu comentário irá ficar maior do que seu post. mas fica a sugestão: Sombras são importantes.

    “Desconfie um pouco mais das teorias, aprimore seu próprio faro e senso de observação”… Perfeito. Amei esta frase. Assistimos a um desenho do Mickey Mouse e não incomodamos pelo fato das orelhas dele serem sempre redondas, não importa a perspectiva, mas se você for visitar a Disneylândia, verá que a “realidade” não é igual à imagem a qual estamos acostumados…

    Um abraço. Tudo de bom!

    MackDK

  2. Belo Artigo. Gostei muito.
    Um abraço.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: