Blog do Marcelão

Blog para debate sobre excelência na gestão.

Fórum HSM de Gestão e Liderança – Sintese I: Significado

Posted by marcelao em abril 8, 2011



Pessoal,

Nos dias 5 e 6 de junho participei do Fórum HSM de Gestão e liderança onde passaram grandes nomes como John Kotter, Vicente Falconi, Dan Ariely, César Souza. Robert Sutton, Sonia Esteves e Claudio Áraoz que compartilharem com os participantes do evento suas visões e conhecimento sobre gestão em diferentes perspectivas.

Todo o evento teve a cobertura do portal da HSM e está disponível no site da HSM(clique aqui para acessar). Meu objetivo com esse texto é fazer uma síntese e trazer a minha visão do que pude captar nas palestras.

Nesse sentido, se eu tivesse que resumir todas as palestras em duas palavras, essas duas palavras seriam significado e execução. E para cada uma delas eu farei um post.

Significado é o que as pessoas procuram cada vez mais no trabalho que desempenham em suas empresas, principalmente nos tempos atuais onde as mudanças são cada vez mais freqüentes, ou como afirmou César Souza: “Não vivemos em uma época de mudanças, mas sim em uma mudança de época”. Em uma época como essa é “inaceitável a hesitação em um mundo que se move em nanosegundos”

As pessoas precisam enxergar o sentido e a razão de executar as atividades que lhe são designadas. Elas precisam entender em que seus esforços contribuem para o objetivo maior da organização, pois do contrário elas se sentirão desmotivadas e frustradas. As pessoas têm orgulho do que fazem e esperam que o mesmo seja aproveitado.

Segundo John Kotter, é preciso ter clareza quanto ao que se espera que as pessoas fazem. Nesse sentido, a comunicação ganha um papel importantíssimo no processo de mudança em busca de fazer coisas diferentes para obter resultados diferentes, fora dos padrões normais.

Clareza na comunicação é criar significado, é criar um sentido para as informações que são geradas. Semana passada eu participei de um workshop de design de serviços e um dado chamou-me bastante a atenção: em um dia normal, nós entramos em contato com 3.000 marcas de produtos e serviços em média, sendo que em um dia de compras, esse número sobe para 35.000 pessoas. Diante de tanta exposição das marcas, os consumidores já não conseguem mais distinguir uma da outra.

Esse mesmo processo ocorre nas organizações onde há uma profusão de informações e de meios de comunicação.  As pessoas sentem-se perdidas, pois existem tantas métricas, algumas se contradizendo entre si, que as pessoas não sabem o que fazer, então elas fazem o que querem e o resultado disso é a perda da capacidade de criar sinergia das organizações.

Por essa razão é que muitos planejamentos estratégicos não funcionam dentro das empresas. É porque falta conectar o que se espera para o futuro da empresa com o que as pessoas estão realizando no seu cotidiano. Essa falta de conexão cria insegurança nas pessoas. Diante disso, é preciso estabelecer táticas para criar essa conexão. Uma das táticas sugeridas pelo professor Vicente Falconi e pelo consultor Robert Sutton foi focar em pequenas vitórias, pois a medida que as pessoas conseguem perceber resultados um pouco mais concretos, isso aumenta a confiança na busca do objetivo maior de cada projeto.

Esse processo é facilmente visualizado se entendermos que no começo de qualquer projeto, independente de tamanho ou complexidade, existe muita motivação, pelo fato de trabalhar em coisas novas, mas pouca informação. A medida que o projeto é executado, se as informações não são apresentadas(leia-se resultados concretos), a motivação e a confiança começam a diminuir e o risco de não alcançar o objetivo do projeto diminui consideravelmente.

É por essa razão que a comunicação corporativa ganha grande importância no processo organizacional. Comunicação essa que precisa ser mais direcionada as necessidades das pessoas que precisam de informação para conduzir suas responsabilidades. Comunicação que precisa ser relevante e atraente para todas as pessoas na organização, mas que não pode estar em excesso de modo que as pessoas passem a nem percebe-la dentro de um mar de informações geradas.

Para reverter esse processo, é preciso aumentar a capacidade de síntese dentro das organizações em busca de gerar informações simples para criar ações simples. Simples não quer dizer simplório, de qualquer jeito. Criar simplicidade dá trabalho, afinal de contas, complicar é fácil, simplificar é que é difícil. Simplicidade essa que é essencial para criar significado para o que as pessoas executam nas empresas. Execução que será o tema do próximo post.

Um abraço.

“Maybe I’m a dreamer, but i still believe”

Twitter: @blogdomarcelao

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: