Blog do Marcelão

Blog para debate sobre excelência na gestão.

Afinal, De quem é a culpa?

Posted by marcelao em maio 8, 2010


Pessoal,

eu estava acompanhando via twitter alguns comentários sobre a edição do TED Sudeste quando apareceu um comentário que teremos 50 bilhões de carros transitando pelo planeta. Imaginem o impacto que isso teria para a nossa qualidade de vida não só do ponto de vista ecológico, mas também com relação ao tempo gasto no trânsito das grandes cidades, aumentando o nosso custo de transação (veja mais aqui).

Algumas pessoas chegam a culpar esse problema gerado pelos carros ao fundador da Ford, Henry Ford, por ter inventado a linha de montagem e facilitado a massificação da comercialização dos carros. A pergunta que faço é : Podemos atribuir aos inventores a culpa pelo uso irresponsável de suas invenções?

É claro que não.

Já ouvi de um amigo meu que a Internet é o grande mal da humanidade que, por causa dela, vemos coisas repugnantes como pedofilia e outras coisas afim. Ora essa, crimes como a pedofilia sempre existiram, apenas ganharam mais visibilidade com a Internet e, sem a Internet, seria mais dificil encontrar esses criminosos. Atribuir a Internet a culpa por crimes como pedofilia é o mesmo que atribuir a Tramontina a culpa por todos os assassinatos com utilização de facas.

Vamos a outro exemplo para refletirmos. O prêmio Nobel foi criado pelo químico industrial, inventor da dinamite, o milionário sueco Alfred Bernhard Nobel (1833-1896). Interessado em desenvolver explosivos, Alfred Nobel realizou experiências com nitroglicerina líquida, um potente explosivo, grandemente superior à pólvora usada até então. A nitroglicerina era, no entanto, um líquido altamente volátil, que explodia ao menor choque, tornando dificílimo o seu manuseio.

A solução para o uso da nitroglicerina somente foi encontrada por Nobel quando ele descobriu que ela podia ser misturada. Ele, por acaso, descobriu que a nitroglicerina podia ser manuseada com segurança, sem perder seu poder explosivo, quando misturada com uma terra arenosa e porosa. Ele chamou o produto “dinamite”, da palavra grega dynamis, que significa poder, e patenteou seu invento na Inglaterra em 1867, e nos Estados Unidos, em 1868. A dinamite fez Nobel conhecido em todo o mundo, e foi logo usada na abertura de túneis, canais, nas minerações e na construção de estradas e ferrovias.

A abertura de seu testamento, que havia redigido um ano antes em Paris e depositado em um banco em Estocolmo, surpreendeu seus parentes e o mundo. Ele deixou o grosso de sua fortuna para a constituição de prêmios a quantos fizessem algo de grandioso para o bem da humanidade, nos caminhos da ciência que ele próprio havia trilhado, como o prêmio para a física, a química e a literatura, e outros, como o prêmio Nobel da Paz.

No entanto, sabemos que suas invenções foram usadas para outros fins que não os fins pacíficos.

Daí a pergunta : Afinal, de quem realmente é a culpa?

A culpa não é da Internet, da dinamite ou da nitroglicerina, mas sim do uso que nós, seres-humanos, fazemos dela.

O que nos diferencia dos animais é a liberdade de fazermos escolhas, mas precisamos entender, de uma vez por todas, que nossas escolhas envolvem também a responsabilidade por elas e por suas consequências.

Afinal de contas, liberdade rima e vai muito bem com responsabilidade.

Um abraço.

“Keep the Faith”

(Twitter : @blogdomarcelao)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: