Blog do Marcelão

Blog para debate sobre excelência na gestão.

Tudo É Software

Posted by marcelao em abril 15, 2010


Pessoal,

No último post que escrevi sobre tecnologia, eu disse que vocês deveriam esquecer a tecnologia como limitadora para transformar criatividade em inovação, pois a tecnologia sempre irá apresentar soluções para atender nossas necessidades. A razão para essa afirmação é que na essência de tudo, tecnologia é a ciência que trabalha a informação. Portanto, esqueçam toda mística em torno da sofisticação da tecnologia, pois, no final das contas, o que ela faz é a geração, tratamento e uso da informação. Tudo é software.

Nesse sentido, as possibilidades de criarmos novas soluções que atendam nossas necessidades cotidianas são infinitas. Imaginem que, por exemplo, você não precisará se preocupar em ter que fazer lista de compras de supermercado, pois essa será uma tarefa que será realizada pela sua geladeira e pelos armários da sua cozinha. Estou ficando doido? Não, não estou mesmo. Até já passei por um exame de sanidade mental nos últimos dias e o médico só disse para os meus familiares que eu não poderia ser contrariado.

Vamos pensar : Se tecnologia é responsável por gerar, tratar e usar a informação e tudo que existe possui informação inserida através dos códigos de barra, não fica difícil construir sistemas inteligentes que nos alertem ou nos ajudem a enfrentar os problemas do cotidiano com mais facilidade. Estou falando de um conceito chamado “Internet das coisas” que alguns associam ao termo “computação ubíqua”.

Todo o código de barras contém uma série de informações sobre os objetos aos quais eles estão vinculados como data de vencimento, data de fabricação, materiais utilizados, … Partindo desse princípio, qualquer coisa é um software ambulante, até mesmo você, que pode ser lido por um sensor e a partir dessa leitura executar alguma ação programada previamente. Um exemplo disso são as portas automáticas dos shoppings que, ao perceberem que alguma coisa se aproxima, abrem ou fecham de acordo com comandos enviados por um sensor. Tudo e Todos nós somos softwares.

A partir desses conceitos, comecem a imaginar que no futuro teremos uma séria de possibilidades como, por exemplo, evitar congestionamentos em trânsitos, pois você teria um GPS que informaria a sua localização atual e traçaria uma rota que evitasse congestionamentos em real-time, pois todos os carros seriam lidos e estariam transmitindo informações para uma central e com isso seria possível mapear a concentração de trânsito em determinados lugares e ajuda-lo a evitar os congestionamentos. Inclusive, toda essa informação seria apresentada no pára-brisa do carro utilizando realidade aumentada. Se aliarmos esse cenário ao cenário em que as ruas são informatizadas, não precisaríamos mais de semáforos para determinar se você  deve ou não seguir em frente, quem definirá isso é a combinação da rua com o carro.

Ainda no campo automotivo, todo mundo tem que se preocupar em fazer a correta manutenção de seus carros, mas imaginem você ter que se lembrar de cada item de manutenção como, por exemplo, sempre a cada dez mil quilômetros ter que realizar o balanceamento e alinhamento das rodas de seu carro, que a cada sessenta mil quilômetros tem que trocar os amortecedores do carro, etc . Todo esse trabalho de controlar seria desnecessário, pois o próprio carro informaria você sobre essas manutenções. Além disso, quando estiver chegando o momento de realizar a manutenção de algum elemento, ele o alertaria e indicaria qual o lugar mais próximo para realizar a manutenção, onde teria uma promoção com preço melhor ou onde tem algum mecânico que várias pessoas recomendam porque trata-se de uma pessoa honesta.

Existem ainda outras possibilidades, como, por exemplo, você está dirigindo no meio da avenida Brasil no Rio de janeiro e se você aceitar a propaganda de uma determinada marca de refrigerante, você pode trocar o seu pano de fundo da avenida Brasil pelo Champs –Elysées da cidade Paris da mesma forma que você troca o tema do papel de parede no Windows do seu computador.

Até mesmo o mecanismos de buscas passam a desempenhar um novo papel. Hoje se você fizer uma pesquisa no Google sobre café, ele provavelmente retornaria sites que falam sobre a história do café, tipos de café exóticos, etc. Agora imaginem que vocês estejam andando pelas ruas de sua cidade, entra em um shopping  e você faz uma pesquisa sobre café utilizando um smartphone. Nesse contexto, a consulta ganha outro significado e o buscador, ao interpretar que você está na rua, pode entender que, na verdade, você não quer saber sobre café, mas sim que você quer tomar café. A partir daí, a ferramenta de busca apresentaria uma lista de lugares no shopping que vendem café e destacaria um que teria uma promoção que se você apresentar um ticket eletrônico informado pelo buscador, você teria um desconto.

Para finalizar, imagine que estamos muito perto de criar matéria a partir do nada e, com isso, passaríamos a não depender mais de dispositivos físicos e poderíamos ter acesso a sistemas computacionais através de qualquer interface. É só lembrar do vídeo sobre o projeto Natal da Microsoft.

Essas são alguns exemplos de tarefas que podemos realizar com esse conceito de computação ubíqua. Isso abre várias oportunidades desde negócios até mesmo pequenas funções como ter um brinco que esquentaria sua orelha sempre que alguém estivesse falando mal de você no Orkut ou informasse a distribuidora da sua cerveja preferida que a sua geladeira precisa ser abastecida. Apenas tome cuidado para que aquele cunhado chato não tenha acesso a esse tipo de informação.

Concluindo, como disse o professor Silvio Meira na IV jornada de tecnologia da informação realizada pela Diretoria de tecnologia do Banco do Brasil em 2009, tudo, absolutamente tudo é programável. Portanto, cada vez mais haverá uma aproximação entre o mundo físico e o virtual, e em breve você não precisará entrar na Internet, pois você estará o tempo todo dentro dela.

Um abraço.

“Keep the Faith”

3 Respostas to “Tudo É Software”

  1. […] em torno de informações que veio a ser conhecida como a “Internet das Coisas”(Veja mais sobre isso aqui). Sensores embutidos, atuadores e capacidades de comunicações , tais objetos em breve serão […]

  2. […] em torno de informações que veio a ser conhecida como a “Internet das Coisas”(Veja mais sobre isso aqui). Sensores embutidos, atuadores e capacidades de comunicações , tais objetos em breve serão […]

  3. […] em torno de informações que veio a ser conhecida como a “Internet das Coisas”(Veja mais sobre isso aqui). Sensores embutidos, atuadores e capacidades de comunicações , tais objetos em breve serão […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: