Blog do Marcelão

Blog para debate sobre excelência na gestão.

Será que não estamos exagerando?

Posted by marcelao em abril 2, 2010


Pessoal,

muito tem sido comentado sobre o risco que as empresas correm com exposição de suas marcas através das redes sociais. O último caso de grande repercussão que envolve esse assunto foi o caso do diretor comercial da Locaweb, torcedor do Corinthians, que, quando estava acompanhando o jogo entre Corinthians e São Paulo no último domingo, fez comentários digamos “ofensivos” (vocês escolham qual palavra melhor se adequa a esse contexto, OK?) ao time do São Paulo e que estava sendo patrocinado pela empresa em que trabalha.

Eu mesmo, quando vi a notícia no portal da Globo.com, repassei a notícia via twitter já prevendo a repercussão que o caso teria, e que realmente teve, pois a empresa fez um pedido de desculpas formal ao São Paulo e um comunicado na Internet pedindo desculpas pelo que aconteceu a todos os que sentiram ofendidos pelas mensagens de seu diretor. A última consequência desse caso foi a demissão do diretor na última terça-feira, dia 30/03.

Diante desse fato, quero fazer aqui uma reflexão : Será que não estamos exagerando? Será que não há uma inversão de valores? Será que esquecemos que somos seres-humanos e que somos passíveis de erros?

Muito se fala e se comenta sobre a necessidade de conscientização dos funcionários das empresas quanto ao uso das redes sociais por parte de deles e do cuidado que os mesmos devem ter. São lançados campanhas internas, instruções normativas, comunicados, …, mas acho que as empresas estão falhando no principio fundamental : Redes sociais são formados por seres-humanos e, se são formados por seres-humanos, acredito que o segredo para atuar nesse ambiente é agir como seres-humanos que somos, passíveis de erro e, principalmente, passíveis de sermos perdoados.

Não conheço o diretor da Locaweb e nem recebi procuração para defende-lo aqui nesse espaço, mas será que a atitude da Locaweb não se trata de uma inversão de valores?  Não estou aqui querendo dizer que o fato deveria ter sido desconsiderado e que nenhum pedido de desculpas deveria ter sido emitido, mas será que não deveria ter ficado apenas por aí? Quais as consequências que tal ato terá para a vida profissional dessa pessoa? Com esse ato, toda uma vida de estudos, dedicação, sacrifícios e sonhos desse profissional podem ter sido jogados no lixo em nome da marca de uma empresa, por causa de um fato que daqui a uns três meses todo mundo terá esquecido, além do fato de que eu duvido que alguém deixe de fazer negócio com a Locaweb por causa desse fato, pois o que deve prevalecer nas negociações é a qualidade dos serviços prestados pela Locaweb e não um fato isolado como esse.

Em nome de uma marca, estamos deixando de ter a liberdade de sermos pessoas sujeitas a errar e de manifestarmos nossas preferências em nome do chamado politicamente correto. Em nome de uma marca, estamos deixando de sermos seres-humanos.

Um abraço.

“Keep the Faith”

8 Respostas to “Será que não estamos exagerando?”

  1. cava said

    Sou corinthiano, portanto, tenho isencao para falar sobre o assunto.

    Nao existe exagero nenhum. Nao existe inversao de valores.

    Duas empresas tem relacao comercial. O diretor de delas ofende seriamente a segunda.

    Uma simples desculpa nao acalmaria os animos da segunda e portanto, nao resolveria o problema.

    Restaria uma quebra de contrato ou uma justa causa.

    Simples assim.

    Ser humano, errou, pagou pelo erro. Simples assim.

    Um diretor ofender seriamente em publico uma empresa que tem relacao comercial é anti-etico. O fato de ter sido por escrito em um lugar como o twitter foi burro.

    Nao foi o Twitter que tirou o emprego dele, foi a falta de bom senso.

    • marcelao said

      É uma opinião e respeito seu ponto de vista, mas o que quero colocar é se não houve exagero. Repito, não quero aqui dizer que o cara não errou. Ele foi muito burro, concordo. Mas será que é para tanto? Também não atribui ao twitter a causa da perda do emprego dele. O Twitter é apenas uma ferramenta e como sempre dizemos, a diferença está no uso que fazemos dela. Você disse : “Ser humano, errou, pagou pelo erro. Simples assim. ” Também não estou querendo dizer que não tivesse que pagar pelo erro, mas o que estou colocando foi o tamanho do preço que ele pagou, OK?

      Abraços

  2. Cava said

    Se a demissão foi exagero? Não

    O amor e a febre pelo futebol, q acaba sendo o argumento de alguns em sua defesa, é tb um dos maiores argumentos para fechar tal patrocínio, mais do q awarness da marca.

    E justamente por isso, se levarmos em conta os devaneios de torcedores, a situação ficaria ainda mais grave para o demitido.

    Ele não somente ofendeu seriamente uma empresa parceira como quase jogou pelo ralo um acordo q vale milhões.

    Pedido de desculpas não seria suficiente nem pra independente, nem para qq outra torcida em situação semelhante.

    A empresa q escolheu se aliar a saopaulinos acabou correndo o risco d vier inimigo dos mesmos.

  3. Welson said

    Vcs não fazem a menor ideia do que estão falando. Ele não ofendeu o sp porque o apelido já existe e todos usam. Eles são bambi mesmo como os corinthianos são chamados de gambá por eles. O fato é que o nosso povo é escroto e falso moralista. Um país onde o ganhador bbb tem uma suástica tatuada e é eleito com milhões de votos do povo não merece respeito. Será que fariam o mesmo tipo de voto para alterar uma MP? Duvido. O povo tem o que merece e infelizmente pessoas serias são execradas via rede social por um apelido. Nunca veremos a rede social sendo usada para o social.

  4. cava said

    O radical Welson reclamando do radicalismo da ação. Boa essa.

  5. ursula said

    oi marcelão,

    você tem outros exemplos do gênero para compartilhar? estou escrevendo uma política do gênero para a organização que trabalho, e entender como outras organizações estão encarando a questão – pelo menos no papel, me ajudaria bastante.

    dando minha opinião, tudo isso é muito novo e precisamos sim refletir acerca da questão. acho que o primeiro passo são as normas, políticas, guias de conduta – o que seja, a respeito do assunto. mas de nada adianta estipular uma nova regra e não não promovê-la, não trabalhá-la junto aos funcionários.

    o combinado não é caro, e uma vez estipulada uma nova regra, se todos tiverem conhecimento dela, burla quem quer, livre arbítrio. e quando fazemos algo fora do combinado, sabemos também que seremos punidos.

    o fato é que a elaboração deste tipo de política acaba na maioria dos casos caindo no colo do RH, que parcialmente atende ao pedido – elabora uma linda política, mas muitas vezes esquece do mais importante, da devida promoção da mesma. PROMOÇÃO entende? não é somente enviar a política via informativo, para que o documento seja apenas mais um no meio da enorme porção de emails que administramos diariamente.

    talvez a locaweb não tenha feito a lição de casa por completo. quem sabe?

    agora de qualquer forma, um vacilo deste, vindo de um diretor, e ainda por cima do departamento comercial, é mesmo de matar. acho sim que a demissão deve ser sempre a última alternativa, mas confesso que neste caso, ressalto, por ser um diretor COMERCIAL, a locaweb ficou mesmo em saia justíssima.

    enfim, temos muita lição de casa!

    e olha, parabéns pelos posts, você tem mandado muito bem!

    grande abraço,

    ursula

  6. Leonardo said

    Marcelão,
    De fato há que se considerar: o usuário está twitando por si ou pela empresa?
    Essa é a pergunta que ele deve fazer a si mesmo antes de postar qualquer coisa…

    Um abraço!

  7. Daniel Diniz said

    A população brasileira exagera nos tratos com as coisas inúteis , o que torna coisas úteis sem importância no meio de tanta informação inútil.
    Cara falou demais, aliás, twittou demais, o que diplomaticamente no mundo dos negócios é muito mal visto, mas o mesmo tempo o senado fala merda todo dia e nenhum emprego é perdido, qual será a diferença?
    A diferença é que para o povo falar do time do coração é mais crítico do que roubar o pão de cada dia das famílias brasileiras.

    O cara é burro e mereceu, mas é exagero sim!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: