Blog do Marcelão

Blog para debate sobre excelência na gestão.

“Voldemort” nas empresas

Posted by marcelao em junho 6, 2009


Blog do Marcelão

↑ Grab this Headline Animator

ordem_fenix

Pessoal,

estou em São Paulo hoje(02.06) participando do fórum mundial de liderança e alta performance organizado pela HSM(acesse aqui a cobertura do evento). Quem abriu o evento foi o professor da universidade de Stanford Jeffrey Pfeffer, um dos maiores especialistas em gestão de pessoas. Entre os vários ensinamentos que o professor Pfeffer compartilhou com todos, destaco a necessidade que o lider aposte na verdade para liderar uma cultura de resultados extraordinarios.

Esse é o ponto em que quero fazer com o universo criado pela autora J.K Rowling com sua saga do bruxinho Harry Potter. Quem acompanha a saga sabe que o vilão é o assassino dos pais de Harry : O Lord Voldemort. O engraçado do filme é que a maioria  dos personagens não podem mencionar o nome do vilão, sempre se referindo a ele como “aquele que não deve ser nomeado”, sendo que Harry Potter é o único que tem coragem de falar o nome do vilão. More »« Less

 

Sabemos que as pessoas dentro das empresas tem consciência dos problemas que suas respectivas empresas enfrentam e que emperram a busca por resultados extraordinários. Ocorre que a conversa e a reflexão sobre esses problemas não são estimulados por aqueles que deveriam liderar a mudança, mesmo sabendo que ela é necessária e inevitável.

Daí surgem aquelas conversas reservadas em lugares isolados e escondidos para falar desses problemas, para falar sobre “aquilo que não deve ser nomeado”. São poucos os “Harry Potter” existentes dentro das empresas que têm coragem para falar o nome do vilão “VOLDEMORT”.

Essa situação chega a extremos com a negação dos fatos como ocorre no quinto filme da série “Harry Potter e a ordem da Fênix” em que, após o quarto filme que marca a volta do vilão, o ministro da magia nega veementemente a volta do vilão e passa a perseguir Harry Potter chamando-o de mentiroso e irresponsável.

As perguntas que quero deixar para reflexão são : Quantos “Voldemort” temos dentro das empresas que precisam deixar de ser “aquele que não deve ser nomeado”? Onde estão os “Harry Potter” dentro das nossas empresas? Até quando teremos que negar a existência dos “Voldemort” dentro de nossas empresas?

Se quisermos alcançar resultados extraordinários temos que passar a encarar de frente os “Voldemort” presentes em nossas empresas. Afinal de contas, para resolver um problema, de qualquer natureza, o primeiro passo é reconhece-los e passar a nomea-los.

Um abraço.

P.S Quero agradecer aqui as minhas colegas de blog da HSM, Adriana e a Raquel, por ter inspirado esse post durante o nosso excelente jantar.

Bookmark and Share

Leia também os seguintes posts :
 
Leia também os seguintes posts :

– O dilema da inovação na gestão – > Clique aqui para ler;

– Gestão 2.0 : Fortaleça os incomodados – > Clique aqui para ler;

– Palestra : Planejamento estratégico pessoal – > Clique aqui para ler;

– Enxergue de forma mais abrangente – > Clique aqui para ler;

– Google – Modelo de inovação na Gestão – > Clique aqui para ler;

– Ostra feliz não faz pérola – > Clique aqui para ler;

– Por quê é tão dificil mudar? – > Clique aqui para ler;

– Não existe planejamento perfeito – > Clique aqui para ler;

– Autoconhecimento : O conhecimento mais importante – > Clique aqui para ler;

– Chegou a hora da administração? – > Clique aqui para ler;

– Questionar é preciso : liderando equipes talentosas – > Clique aqui para ler;

– Gestão e inovação é com o lado direito do cérebro – > Clique aqui para ler;

– Livro : O futuro da administração – > Clique aqui para ler;

– Dica de video – Conheça a cultura corporativa do Google – > Clique aqui para ler;

– Google – Modelo de inovação na Gestão – > Clique aqu para ler;

 

Anúncios

16 Respostas to ““Voldemort” nas empresas”

  1. […] – “Voldemort” nas empresas – > Clique aqui para ler; […]

  2. […] – “Voldemort” nas empresas – > Clique aqui para ler; […]

  3. […] – “Voldemort” nas empresas – > Clique aqui para ler; […]

  4. […] – “Voldemort” nas empresas – > Clique aqui para ler; […]

  5. […] – “Voldemort” nas empresas – > Clique aqui para ler; […]

  6. […] – “Voldemort” nas empresas – > Clique aqui para ler; […]

  7. […] – “Voldemort” nas empresas – > Clique aqui para ler; […]

  8. […] – “Voldemort” nas empresas – > Clique aqui para ler; […]

  9. […] – “Voldemort” nas empresas – > Clique aqui para ler; […]

  10. […] – “Voldemort” nas empresas – > Clique aqui para ler; […]

  11. […] – “Voldemort” nas empresas – > Clique aqui para ler; […]

  12. […] – “Voldemort” nas empresas – > Clique aqui para ler; […]

  13. […] E talvez nenhuma empresa tenha implantado esse ambiente de colaboração voltado ao ser-humano de forma tão eficiente quanto o Google, eleita a melhor empresa para se trabalhar em 2010 pelo Great Place to Work. Segunda a revista, o Google oferece um ambiente que funciona com um clima semelhante ao de um campus universitário e que oferece benefícios como quadras de vôlei e até comida de graça. Nada disso é por puro romantismo, mas sim para gerar cada vez mais resultados e fazer a empresa crescer cada vez mais. Trabalhar no Google exige disposição para o debate e para ouvir críticas. No Google não existe o Lord Voldemort(Veja mais sobre isso aqui). […]

  14. […] E talvez nenhuma empresa tenha implantado esse ambiente de colaboração voltado ao ser-humano de forma tão eficiente quanto o Google, eleita a melhor empresa para se trabalhar em 2010 pelo Great Place to Work. Segunda a revista, o Google oferece um ambiente que funciona com um clima semelhante ao de um campus universitário e que oferece benefícios como quadras de vôlei e até comida de graça. Nada disso é por puro romantismo, mas sim para gerar cada vez mais resultados e fazer a empresa crescer cada vez mais. Trabalhar no Google exige disposição para o debate e para ouvir críticas. No Google não existe o Lord Voldemort(Veja mais sobre isso aqui). […]

  15. […] Diante disso, Ouvir é marca fundamental do respeito. Ouvir é o coracão e a alma do comprometimento(engagement). Ouvir é a base da colaboracão verdadeira.(leia mais sobre isso aqui) […]

  16. […] Diante disso, Ouvir é marca fundamental do respeito. Ouvir é o coracão e a alma do comprometimento(engagement). Ouvir é a base da colaboracão verdadeira.(leia mais sobre isso aqui) […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: